14.2.12

O amor no fundo do bolso

Estou longe de pensar que sei mais sobre amor do que qualquer outra pessoa que tenha nascido com um coração e não tenha medo de o usar. Aliás, estou longe de pensar que o amor é algo que seja pensado.

No entanto, ao contrário de filmes e livros onde secretamente torço para que vilões levem a melhor e os finais estejam longe de ser previsíveis, gosto de encontrar à minha volta história felizes nessa matéria. Mas, na vida não existe um controlo remoto que nos permita ligar/desligar, aumentar/diminuir e regular o que quer que seja na vida dos outros, pelo que a vida corre o ritmo que tem que correr.

Portanto, longe de paternalismos, conselhos em seara alheia e elaboradas teorias que conduzem à felicidade, permitam-me que partilhe convosco uma metáfora que, não trazendo conforto, possa ao menos trazer um sorriso. É uma metáfora idiota, mas se fosse racional, inteligente e perfeitamente válida, o mais provável seria que não tivesse nada a ver com o amor.

O amor pode ser como uma nota de 20 Euros escondida algures no fundo do bolso de umas calças que temos no armário. Não é uma nota de 5 ou de 10 porque isso seria demasiado trivial e pouco significativo para ser amor. Não é uma nota de 50 ou de 100, porque o amor é algo real e notas de 50 ou 100, para a maior parte das pessoas não o são, especialmente no fundo de bolsos. Portanto, fantasiemos dentro das nossas possibilidades.

Não é possível dizer quando vamos encontrá-lo e em que condições vai estar. Talvez apareça quando menos estejamos à espera ou até quando mais precisamos. Pode aparecer nos lugares mais improváveis e nunca nos vamos lembrar de o procurar aí até o encontrarmos. Pode até aparecer tarde demais, como quando tiramos as calças da máquina de lavar, mas se o descobrirmos, até nessa altura tudo vamos fazer para o desfrutar.

Na verdade, podemos até nunca vir a descobri-lo.
Mas, a diferença será sempre entre acreditar que ele existe e somos nós que não sabemos onde ele está ou pensar que isso só acontece aos outros, coisa que vamos defender a vida inteira, até ao dia em que o encontrarmos.

Se todos temos bolsos, porque não acreditar que toda a gente um dia pode encontrar o amor no fundo de um deles. Ou, na pior das hipóteses, que pelo menos lá esteja uma nota de 20€.

7 comentários:

  1. Eu acrescentaria que uma nota de 100€ ou mais é uma paixao avassaladora que se gasta num ápice dando uma ressaca do caraças.

    ResponderEliminar
  2. E aquelas notas de €20 que ficam esquecidas nas calças que já nos estão demasiado apertadas (nunca ficam demasiado largas, as bestas) e que metemos num saco e damos para a caridade ou assim?

    (eu juro que isto na minha cabeça tinha um sentido lógico)

    ResponderEliminar
  3. @Jibóia - Notas de 100€ não existem na carteira, quanto mais no bolso das calças. A não ser que lá a tenham posto com algum propósito e aí podemos estar a falar de amor profissional.

    @ Anouc - São amores que se perdem e pessoas carenciadas elegantes que saem duplamente a ganhar.

    (lógica é coisa que se perde muito facilmente nesta cabeça)

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto de acreditar que sim, que acabamos por encontrar o amor em lagum lado uma dia qualquer

    ResponderEliminar
  5. Pois que o teu pensamento não caia em bolso roto :)

    ResponderEliminar
  6. lá estão vocês a colocar um preço nas coisa :)

    ResponderEliminar
  7. O preço é figurativo, a não ser que seja determinado por um profissional do ramo ;)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.