28.7.11

O génio brasileiro da lâmpada

Já faltou mais, mas ainda não acabou o que começou aqui

Viciante disse..."Ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão"

E eu explico (sabendo que nem tudo o que é ladrão tem ouro):

“Conheces a história do Génio brasileiro?” Quem perguntava isto era um velho curvado, de pernas arqueadas e ar muito cansado que, ainda assim tinha aquele ar de quem não podia morrer enquanto não contasse mais uma história. E, dado que eu não conhecia tal personagem, pus-me a jeito.

Segurando numa lâmpada antiga, o velho sentou-se e contou que em tempos tinha sido o capitão de uma embarcação que percorria o Amazonas, levando encomendas e pessoas ao longo do rio. Certo dia, acolheu um indivíduo que carregava consigo um grande saco e não só era pouco falador, como tinha cara de quem não queria fazer amigos. Pagou em dinheiro e passava boa parte do tempo junto à parte traseira do barco, sempre de saco na mão , como se esperasse a chegada de alguém.

A curiosidade não mata apenas os gatos e a junção de saco e personagem intrigava o capitão. Numa noite de lua cheia, quando a hora já era avançada e só se ouvia o roncar dos passageiros, o capitão decidiu fazer algo que mais tarde se viria a arrepender. Aproximou-se do viajante, que ressonava alto e bom som e qual não foi o seu espanto ao encontrar o saco semi aberto. Com toda a cautela abriu-o mais um pouco e viu que estava cheio de peças valiosas, das mais diversas espécies, algumas delas ainda manchadas de sangue. No entanto, a que mais lhe chamou a atenção era uma lâmpada, que reluzia à luz do luar. Pensou e disse baixinho “Ladrão que rouba a ladrão, tem cem anos de perdão…” e levou-a consigo, deixando tudo o resto.

No dia seguinte, em que chegavam ao destino final, surpreendeu-o a mudança de atitude no viajante, que era agora afável e ria por tudo e por nada, mas ligou isso ao fim da viagem. Largados passageiros e carga, foi ver a sua lâmpada e quando entrou na cabine, surpreendeu-se ao ouvir o som de forró e uma figura misto de Carmen Miranda e Hércules.

“É isso aí capitão, ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de Pedrão. E gatinho, eu sou Pedrão, o génio a quem você vai satisfazer todos os desejos. Todjinhos ouviu…”. Era um génio brasileiro e a novela ia começar para nunca mais acabar…

1 comentário:

  1. O Pedrão é um rapaz muito simpático e sensível!

    Gostei! E é uma explicação Lógica! lolololol

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.