31.7.11

Nunca digas a esta conclusão não chegarei

Quis a vida que há lá fora que esta história que há cá dentro se prolongasse até ao fim da semana. Ainda assim, obrigadinho a todos os que contribuíram para a alucinação. E Jibóia, não desanimes, pode ser que recebas notícias no correio brevemente.

Del Xiesca disse... Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és.

E eu explico (relembrando que no falar e no andar, pelo meio pode estar o tropeçar):

A zebra não sabia o que queria e, não sabendo, ia querendo muita coisa. Queria por vezes ser ágil e mudar de ramo como ninguém e por isso fazia questão de ser vista a andar com macacos. Mas, rapidamente mudava de ideias e queria ser alta e elegante e, para esse efeito, nada melhor do que andar uns tempos com girafas. E como na selva não há nada que não se diga nem não se saiba, as coisas iam correndo conforme a zebra ia andando.

Quando queria que dissessem que nadava bem, andava com hipopótamos, se se sentia em mood pink, andava com flamingos e por uns ia trocando os outros, sem respeitar mais do que a sua vontade e o desejo de que falassem nela. Mas, fartava-se rapidamente e sabendo também que os outros se fartavam de estar sempre a falar de si, resolveu que estava na hora de andar com alguém realmente fora do comum, alguém que fizesse falarem da zebra como nunca tinham falado.

Confidenciou com uma preguiça, uma das poucas que ainda tinha pachorra para as suas andanças. “Estou a pensar andar com leão”. A outra nem queria acreditar, “Um leão?? Mas tu endoidaste de vez?”. A zebra tentou convencê-la que não, que era uma coisa bem pensada e que só assim, sendo vista com o rei da selva, falariam dela como a princesa que achava ser.

“Ó mulher, tu não te metas nisso, olha que bicharada como nós não anda com leões, anda à frente deles para as coisas não correrem mal....”

Não desejando ser vista a andar com a preguiça e muito menos estar para ali a ouvir conselhos que não lhe serviam, a zebra pôs o seu plano em marcha. E, num belo dia, qual não foi o espanto do leão quando, em passeio pela savana, deu por si a andar com uma zebra ao seu lado. Primeiro, pensou que fosse do calor ou que tivesse comido um bife estragado e tivesse com visões, mas depois olhou melhor e viu que a zebra lhe sorria e que, a uma distância segura, não faltavam animais de boca aberta.

“Olha...” começou ele em tom mansinho “...podes dizer-me a que devo o prazer da tua companhia?”

E a zebra sorriu, satisfeita por ver um leão tão educado “Ora, não és tu o rei da selva? Então está na hora de teres uma princesa ao teu lado”.

O leão deitou-se à sombra de uma árvore e a zebra sentou-se por perto. As coisas estavam a correr melhor do que ela pensava. O leão voltou a falar em tom mansinho “Uma princesa pois então...bem, suponho que a ocasião mereça um banquete a anunciar...” A zebra, toda ela inchada, pensava já no que diriam as manchetes das revistas sociais da selva.

“Parece-me muito be.....”

A zebra não teve tempo de acabar a frase, pois já vinda do nada surgira uma leoa que, sem hesitar, se lhe atirou ao pescoço e a trucidou em dois tempos. Foi a vez do leão esboçar um sorriso, que a leoa não retribuiu “Que queria esta cabra?”.

“Cabra? Não vês que é uma zebra?”, o tom era puro mel. “Não te faças de parvo, pelo menos já me adiantou o nosso jantar”. O leão levantou-se “Eu sei querida, já fazes tanto, senti que estava na altura de te dar um jantar de princesa”. E assim se serviram à vez da zebra, que passou de andar nas bocas do mundo, para andar na boca de um casal de felinos, sendo notícia pela última vez.

4 comentários:

  1. Obrigada. Gostei muito da Zebra que é uma cabra! Uma verdadeira princesa portanto! :)

    ResponderEliminar
  2. Cabra...mas disfarçada! O que há por aí delas!!! ;)

    Texto fantástico! :)

    ResponderEliminar
  3. @ Del Xiesca - Não há que agradecer, a matéria prima veio daí, a demência causada pela falta de medicação veio daqui ;)

    @ Malena - Basicamente, isto é uma selva...

    ResponderEliminar
  4. ah...estou a precisar de demência induzida. vou parar de tomar a medicação também.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.