28.6.11

Cinto, muito

Não preciso de citar nomes, porque as más notícias viajam sempre mais rapidamente que as boas. E se é verdade que as tragédias ganham outras proporções quando falamos de figuras públicas, não é menos verdade que as razões na base das situações são muitas vezes iguais e repetidas vezes sem conta, com tudo menos um final feliz.

Nesses momentos, quando para muitos as emoções estão à flor da pele, é aí que faz sentido passar a mensagem certa. Não por falta de respeito, não por aproveitamento, nem sequer por falta de tacto – simplesmente porque a nossa memória tende a ser curta de mais para o que a nossa vida vale.



5 comentários:

  1. Ha muito tempo que não te dizia que escreves extraordinariamente bem. E fiz questão de o dizer a mais gente, la no sotao.

    ResponderEliminar
  2. @ macaca - Grato pela referência, como sempre e já há algum tempo :)

    @ A - :) x2 ;)

    ResponderEliminar
  3. Já conhecia este vídeo mas não consegui evitar ficar com os meus olhos rasos de água de novo.
    Eu também já perdi alguém por conduzir sem cinto.

    Por favor, não facilitem!

    Parabéns por este post. Uma vez mais brilhaste.

    ResponderEliminar
  4. Mak, parabéns. Consegui ler o que hoje sempre tive em mente. Nao se salva uma vida, mas que se salvem outras com este triste exemplo. Um post que vale pelo dia. Parabéns!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.