18.4.11

Pessoas político-cupcakiano correctas

Uma pessoa política não é um político, até porque há sérias dúvidas que grande parte dos políticos sejam pessoas. Uma pessoa política é uma espécie de cupcake humano, ou seja, aquilo que ela verdadeiramente é está debaixo de uma camada artificial que não traz nada de bom, mas que está lá para dar uma espécie de bom aspecto.

Uma pessoa política não tem uma opinião própria, tem a opinião que é suposto ter numa dada ocasião. Não vibra, estremece apenas ligeiramente para dar a impressão que está viva. Não se compromete, mas promete que se vai comprometer com aquilo que for mais prometedor. Não sai do meio porque, para além de ser ali que está a virtude, é bem sabido que quase sempre é nas pontas que está o desconforto.

E uma pessoa política, para além de ser um cupcake humano é, acima de tudo, uma pessoa que tenta ser o mais confortável possível perante tudo, o que me causa um certo desconforto.

Sendo assim, tenho em relação às pessoas políticas a mesma atitude que tenho em relação aos cupcakes. Vejo-os na montra, penso que deve haver gente que gosta daquilo sem perceber bem como e depois passo ao lado e vou procurar algo que me pareça mais genuíno.

2 comentários:

  1. Parabéns! Há muito tempo que não lia nada que seja tão bem capaz de expressar aquilo que penso!

    Pessoas cupcakianas (acho que é assim) existem realmente e estão mesmo ali ao virar da esquinha numa qualquer montra.
    Só que há pessoas que gostam de cupcakes, que os acham na moda, in, fashion e outras coisas assim! São essas pessoas que dão razão à sua existência (a dos cupcakes e das pessoas cupcakianas).

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.