12.4.11

Não era uma bomba, miúda


Sei bem que com esta barba por fazer, tez morena e ar de pseudo-duro posso causar alguma suspeita. No entanto, também não se pode dizer que fosse mal arranjadinho, de banho tomado e uma roupinha que quase que deixaria a minha mãe orgulhosa.

Como não uso a viagem matinal de Metro, que agora é habitual, para divulgar a palavra do Senhor (ou de outras figuras de nomeada) nem fiz beicinho ou olhos de carneiro mal morto na tua direcção, o teu interesse insistente e persistente em tentar descortinar o que levava nas mãos, só pode ter a ver com isto:



Não te quero estragar a história, mas já me tinham dito que a coisa era boa e pelas 200 páginas que já li não me mentiram. E se as 800 e tal páginas que tem podem desmotivar pessoas e desviar vértebras, o entrelaçar de diversas histórias de um quotidiano americano que se espalha ao longo de várias décadas vale muito mais que o peso.

O resto vais ter que descobrir por ti ou perguntar-me directamente, que eu não gosto de usar a Internet para estas coisas.

Ah e tapar os livros com folhas de papel ou capas mal amanhadas só se justifica se não forem nossos e os quisermos devolver no estado em que chegaram às nossas mãos. Da minha parte, não gosto de livros que parecem “intocados” e trato-os um bocado como tratava os meus joelhos quando era miúdo. Andam sempre um bocado esfolados, mas aguentam firmes.

4 comentários:

  1. Sempre achei que essa de tapar os livros com papel ou capas manhosas servia para dar um ar de intelectual a quem na verdade está ali a ler revistas do tio Patinhas.
    Os meus [livros] também vão sempre ao ar, livro que se preze, tem de ter rugas na capa e cantos "comidos".

    ResponderEliminar
  2. Eu também tratava os joelhos assim - achava que era sexy, que me dava um ar vivido, por isso quando havia porradas mais planeadas vestia sempre calções curtinhos...(era tão tontinha graças a Deus)

    ResponderEliminar
  3. @Blue - Ler Tio Patinhas é coisa de intelectual. Mas só se for na versão checa.

    @Rita - Agora que penso, foram os joelhos esfolados à grande que faziam de mim uma referência para as miúdas. Isso e as coreografias dos Backstreet Boys...

    ResponderEliminar
  4. Os livros não são para enfeitar prateleiras.
    Julgo eu! Afinal ainda não percebi algumas encadernações tipo roupa de Barbie com bolinhas e brilhantes... Se calhar é para condizer com as cortinas la de casa...

    Livro é para ser lido e tocado... Também ninguém me convence a ler livros online...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.