23.2.11

Um homem ao lado do seu tempo

Há quem passe ao lado de uma grande carreira. No seu caso, passou mesmo rente a ela.

Acabou de escrever “A mudez dos indesejados” e para comemorar foi ao cinema. O filme que viu era “O silêncio dos inocente”. Ao chegar a casa, queimou o seu manuscrito, por entre palavras indecorosas.

Passou perto de três anos a desenvolver a saga de “Larry Sotter” sobre um miúdo orfão aspirante a mágico, que vai para uma escola de circo numa cidade fantástica, onde vive muitas aventuras e descobre tudo acerca do seu passado. Depois de tanto tempo saindo tão pouco à rua, resolveu espairecer e sair para ver as montras. Entre essas, constava a de uma livraria onde se anunciava o primeiro volume de Harry Potter. Regressou a casa e comeu a única impressão do seu ficheiro. Os temperos não ajudaram à azia.

A partir daí, à sua iniciativa só se sobrepunha o seu descalabro.

Se estava a acabar “Meu irmão, Abel”, logo Saramago publicava “Caim”

Se se arrojava no argumento “Dentro destas fronteiras não há idosos”, já as salas aplaudiam “Este país não é para velhos”.

Se insistia em terminar o futurista “Ícones”, cedo o arrastavam para ir ver “Avatar” e, pelo meio desesperar..

Se desesperava em terminar um épico em são entrelaçados um misterioso escritor checo, assassínios numa cidade do Panamá e um grupo de críticos de cinema, ao ponto de temer pela sua saúde e ser obrigado a fazer uma pausa, era esse o momento em que timidamente alguém lhe mostrava um exemplar de 2666 de Bolano.

Anos de vida indevida e, ainda por cima, apagada da história pelo infortúnio, resolveu desistir e fazer um blog a relatar a sua experiência.

Consultou o seu email antes de publicar o seu primeiro post. Um amigo de longa data enviava-lhe um link sobre Gunnar Ovidsson, um quase escritor sueco celebrizado na blogosfera por quase ter publicado uma dúzia de obras famosas.

Atirou o computador pela janela.

O vizinho do 2º esquerdo fez o mesmo.

28 segundos antes.

3 comentários:

  1. Antes que apareça aqui alguém a dizer que gostou muito... :-D

    ResponderEliminar
  2. Bolas, atrasei-me... Vinha dizer que gostei muito. :)

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito, pena ter sido escrito com letras tão pequeninas.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.