28.12.10

As não prendas

Findo o regabofe do fim de semana de Natal e enquanto há já quem só roa as unhas à espera do rei velhão, há sempre um balanço para fazer. No entanto, muitas vezes é preciso ter cuidado com esse tipo de actividade, já que o enfardamento natalício torna-o algo perigoso.

“Ohhh, este é daqueles posts bonitos dado a reflexões sobre o ano que passou?” suspirará o leitor, enquanto conta as suas 12 passinhas e as envolve cuidadosamente em película aderente, não vá o diabo tecê-las.

Não, este é um post parco em beleza sobre uma certa tipologia de prendas do Natal que passou. E parem com essa história de passas e película aderente. O facto é que, para além dos postais com música, se há coisa que me melindra são as não prendas, uma categoria muito especial dentro das coisas que dão mau cheiro ao sapatinho.

As não prendas parecem prendas, mas não o são. Distinguem-se das que realmente são pelo facto de serem dadas mecanicamente, sem outro valor, intenção ou gosto, que não o de dar uma prenda por obrigação. E, quando assim é, invertem-se as escalas de valor e um lápis pode valer muito mais que um relógio daqueles bons, com nome de marca estrangeira e ponteiros que fazem habilidades.

Isto é apenas um exemplo, mas não faltam outros, surgindo de vários pontos à nossa volta e vocês sabem do que eu estou a falar. E, se não sabem, bem podem agradecer ao Pai Natal.

PS – Isto não é uma reclamação disfarçada. Eu sempre gostei de pijamas com o Noddy.

5 comentários:

  1. Xiiii...
    Estás ressabiado, that's for sure!!
    Felizmente, não sei mesmo do que estás a falar!
    Sou das sortudas!
    Para mim Natal não é sinónimo de prendas... por isso não padeço do mal dos comuns mortais! (e também nunca daria um pijama nem uns boxerscom motivos do Noddy a um maduro como tu!)

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Só por isso lembrei-me que tenho lá em casa uns lindos panos da loiça. Já viste as inumeras utilidade que podes dar a esse precioso objecto que são os "panos da loiça".
    Boas festas Mak :)

    ResponderEliminar
  4. @ Orquidea - "Maduro", parecendo que não, é bem melhor do que "Fóssil". E isto não é ressabianço, é mais observação da trama social que me rodeia e o facto de eu ser dado ao dramatismo.

    @ Miss - Eu podia contar uma bonita história oriunda da minha infância que metia um velho a oferecer panos de cozinha a um miúdo, possivelmente também a querer "boas festas". A resposta do miúdo, meu amigo de longa data, foi deveras apropriada...

    Fora isso, uns votos tradicionais de tudo de bom, etc e tal Miss :)


    PS - Word Check "conas" - assim se vê o nível deste blog...

    ResponderEliminar
  5. Isso é o Pai Natal a pensar que já chegou o Carnaval :)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.