17.11.10

O sexo e o convento

Num cenário espiritualmente trend setting, juntaram-se quatro amigas e velhos hábitos. Com aguardentes artesanais, as paredes húmidas de um convento e um baralho de cartas numa tarde fria e já se sabe que a coisa só podia aquecer.

- Irmã Laura, disse-me uma santinha que já conhece bem o frade italiano que está a passar uns meses na abadia – a Irmã Sara fez uma pausa para sorver um pouco da sua aguardente de melaço, não sem antes sorrir maliciosamente.

- Vá, não seja assim Irmã Sara – era a vez de Irmã Carolina falar, enquanto mantinha o olhar na sua mão de poker – A Irmã Laura não conhece melhor o frade italiano do que você conhece aquelas courgetes que estavam no cesto dos vegetais.

A irmã Sara preparava-se para responder, mas foi a Irmã Mónica que se antecipou, apagando o cigarro de cânhamo na caixa de esmolas que estavam a usar como cinzeiro:
- Quem diz courgetes, diz alho francês, cenouras e até um cacho de bananas que por lá andava – Irmã Sara olhava agora para o chão, enquanto servia mais um copo daquela pomada que tanto conforto lhe dava – E digo-lhe mais Irmã Sara, se quer ter encontros com o Senhor assim, por favor não descasque as coisas. É que depois nota-se, quer no sabor da sopa, quer da salada de frutas.

- Irmã Mónica, deixe lá a rapariga e a sua devoção por vegetais, que é a sua vez de jogar – Irmã Laura fez uma aposta e recostou-se na cadeira – O Irmão Giuseppe quis passar a tarde de ontem a rezar e agora estou que nem posso das costas.

Depois de pensar por uns instantes, Irmã Mónica mandou o seu jogo abaixo e suspirou – Pois é Irmã Laura, tem sorte em ter quem a acompanhe nesses mistérios. É que eu, por mais que reze, não tenho um Irmão Giuseppe para me dar hábitos Deus&Gabana...

Irmã Carolina não evitou uns risinhos, enquanto cobria a aposta de Irmã Laura – Quem vê hábitos não vê sandálias não é Irmã Mónica? Porque quando cá esteve Monsenhor Manolo de Espanha, devem ter sido preciso muito terço e muita penitência para ficar com umas sandálias como as suas...

Já com muitas contas de rosário em cima da mesa, o trio de Valetes de Irmã Laura bateu os dois pares de Irmã Carolina, que não evitou o desabafo “Nem Santa Rita me vale contra um trio...”

Foi a vez de Irmã Sara ripostar “Ora, deixe lá Santa Rita atender as preces de quem precisa, porque quando da última peregrinação, não a vi queixar-se quando teve de lidar com os três missionários argentinos...”

Riram-se todas e brindaram com mais uma rodada de aguardente artesanal. Em breve os sinos tocariam e aqueles momentos dariam lugar a outros mais severos. Mas, enquanto houvesse fé no mundo, aquelas quatro amigas não faltariam momentos para conviver e mostrar que há hábitos que nunca se esquecem.

3 comentários:

  1. (andaste a ver Almodóvar :), estava à espera de a qualquer momento ver entrar um tigre ou leão nessa história)

    ResponderEliminar
  2. Era para haver mas era o Tigre e o Dragão, mas as aulas de kung fu hoje acabaram mais tarde...

    ResponderEliminar
  3. O brunch do rosário?
    Parece-me muito bem lol.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.