7.11.10

O Concerto dos Frete

Podia falar, de pantufa posta e ar de quem domina o sofá apenas com o olhar, sobre o concerto a que fui ontem. Mas, os concertos foram feitos para se ouvir, como tal prefiro divagar um pouco sobre as pessoas que vão a concertos.

Existem vários motivos para se ir a um concerto, alguns deles envolvendo até razões tão tresloucadas como - gostar da banda que vai subir ao palco. No entanto, existem pessoas que vão a concertos por motivos mais sublimes como, por exemplo:

“Desejo inalar fumo apertadinho no meio de outros, como se na minha última encarnação tivesse sido um enchido de gabarito.”

“Não há sensação melhor do que atender um telemóvel no meio de uma barulheira infernal, de modo a conseguir berrar inúmeras vezes expressões como – NÃO OIÇO / O QUÊ?? / NUM CONCERTO – CON-CER-TO / NA GAVETA, ESTÁ NA GAVETA.”

“Gosto de imitar um totem, mas tenho medo de chuva. Por isso, nada melhor do que ficar parado no meio de pessoas que se movimentam ritmicamente, comportando-me como se respirar fosse opcional.”

“Concertos são uma coisa tão pobre. É de tal modo enfadonho, que me forço a ir vê-los só para me avisar a mim mesmo para nunca cair no erro de ir a um.”

“Concertos, ya man, são a minha onda. Vivo para isto, por isso é que não podia perder aqui os...ahh..estes tipo da...então são aquele daquele Néu-néu-néu...é a a tal cena. Man, onde é o bar?”


O resto, bem o resto são cantigas.
Tirando para a tipa enfastiada de ar posch e o jovem forcado que a acompanhava que estavam ontem ao meu lado. Dá-me ideia que não havia ali muita música no coração...

2 comentários:

  1. Agora fiquei aborrecida, pronto. Não venho dar opiniões e nem sou muito dada a moralidades. Isso quer dizer que não posso comentar? Que existe um mecanismo, ou ferramenta, ou lá como lhe queiram chamar que rejeita automaticamente comentários de pessoas que, no fundo, não têm nada de interessante e pertinente a dizer?

    Eu não vou a concertos porque não gosto que me pisem os calos. Principalmente o do pé direito.

    ResponderEliminar
  2. que telepatia, como dizia a outra.

    a cat disse-me para passar por aqui e claramente estiveste dentro da minha cabeça durante esse concerto
    http://peligroesminombremedio.blogspot.com/2010/11/da-promiscuidade-imposta.html

    o incómodo foi tal que me esqueci de comentar a banda.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.