22.10.10

Possui-me a caixa do correio à bruta

A minha caixa de correio não tem grande critério na escolha de quem recebe. Tão depressa a vejo com envelopes aprumados, de boa gramagem, como com sóbrios envelopes institucionais ou até com as mais reles contas e avisos. Mas, acima de tudo, irrita-me a sua falta de decoro com a panfletagem da pior espécie.

Ainda ontem, chegado a casa, encontrei-a enrolada com mais de seis. Por norma tento não olhar, suspiro e ponho-os a reciclar, sem querer saber do que têm para me dizer, só que ontem foi diferente. Olhei para eles e podem crer que depois de os observar, posso dizer que já pouca coisa me surpreende na promiscuidade da caixa do correio, onde o sinal “Publicidade aqui não” serve apenas para decorar.

Eram 6 e eram assim:

Pequeno flyer de Jardim de Infância – Sem entrar em detalhes técnicos, gostei do “Nova Gerência”, assim ao estilo tasca de grelhados. No entanto, foi a sua disponibilidade para receber crianças que me cativou. Rezava assim “Não sabe onde deixar a sua criança por um dia? Por uma semana? Nos meses de férias?” Foi a medo que li a linha seguinte, temendo ver “Até ela ter 18 anos e poder conduzir máquinas agrícolas?”. Não foram tão longe...ainda.

Folheto de viagens de 2 dias à Serra da Estrela, de 1 dia a Évora, de 2 dias a Arcos de Valdevez e a mais 38 destinos, sempre com a oferta de algo surpreendente, pelo meio de muitas cores, muito granel e um atentado visual a pessoas que não se deixem cativar por letras onduladas, tons berrantes e muito tempo livre. No entanto, a generosidade é evidente, através da “Oferta de uma prenda totalmente grátis para cada participante”. Não há cá infâmias de oferecer prendas que sejam só 50% grátis, nem nada que se pareça.

Monofolha de Alumínios que marcam a diferença – Ano após ano, a malta dos alumínios não desiste. De vários pontos do país e com vários orçamentos, técnicos competentes e resultados deslumbrantes nos tentam convencer que há espaço para o alumínio no nosso lar e que as marquises nesse material não têm de pertencer apenas ao imaginário urbano.

Grande Mestre Turé – Não é novidade, 98% dos licenciados, mestres e doutores guineenses está em Portugal, possivelmente trabalhando fora do seu curso, fazendo biscates como feiticeiros e afins. O rectângulozinho de Mestre Turé não difere em muito dos outros. Mas, há um exame que não me deixa muito seguro “Exame do sexo para ter força no amor”. Vai com calma Turé, ainda mal nos conhecemos...

Mega desdobrável de prevenção e alerta sísmico – Cheira-me a coisa do Governo. Para distrair as massas, a coisa já só vai lá com um sismo. Gosto do facto de ter ilustrações meio infantis, pois qualquer desgraça fica mais fofinha e menos aterrorizadora quando ilustrada dessa forma.

Finalmente, a grande peça – Um rectângulo de papel branco mal recortado e uma mensagem simples e concisa “Aceitam-se idosos. Preços espeÇiais desde 600€.” E apenas um número de telefone. Corri para casa, na esperança de ter um idoso para ir negociar. Procurei nos armários e nada. Mas ainda não desisti.


Vendo isto, não condenem a promiscuidade da vossa caixa do correio. Quem sabe não vos proporciona alguns minutos de reflexão sobre o destino, alumínios e o exame do vosso sexo, entre outros.

3 comentários:

  1. Esse Turé é um abusador. Quanto aos idosos, tenho para trespasse.

    ResponderEliminar
  2. Eu nem quero ver a promiscuidade que deve ir para lá na minha caixa, um mês sem supervisao de um adulto responsável.

    ResponderEliminar
  3. Já gargalhei :D

    Gostei especialmente do "Corri para casa, na esperança de ter um idoso para ir negociar", muito bom!

    Quanto à minha, vou deixando, tipo a forrar-lhe o fundo, mas um dia destes recolho tudo.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.