28.10.10

O dilema do disco rígido

Sou um tipo que gosta de diversificar as suas manhãs, antes de ir para o trabalho. Por isso, hoje quando saí achei interessante enrolar-me num edredão e passear um pouco. No entanto, isso não pareceu agradar aos malucos oficiais do bairro, que vieram ter comigo numa acção de sensibilização, dizendo-me:

“Amigo, você está a tirar prestígio ali ao Andrade, que só ao fim de 5 anos é que arranjou uma boa carpete para poder andar por aí enrolado a falar com os caixotes do lixo. Se quer virar o boneco, experimente andar com uns carapaus frescos na boca ou mascarar-se de ecoponto, que esse nicho ainda está por preencher...”

Como a peixaria ainda não estava aberta, resolvi que era melhor ir pôr o edredão a lavar na loja da especialidade do mini-centro comercial, deixando para amanhã outra maluqueira. Ao chegar lá, as três senhoras que lá trabalham estavam em animada cavaqueira, o que me levou ao pensamento “Será novela tradicional, novela do Orçamento de Estado ou novela das presidenciais?”

Surpreendi-me, enquanto uma delas me recebia o edredão, por ver que estava longe da verdade. Perguntava uma “Ouve lá, mas afinal o que é isso do disco rígido?”, respondia-lhe a outra, com ar assertivo mas pouca substância “Então...então...um disco rígido é o que está cá dentro”. E dá umas palmadinhas numa torre de um computador que tinha ar de já estar extinto há cerca de 20 anos.

Afastei-me, questionando o meu próprio disco rígido - aquelas mulheres teriam no máximo 40 anos e lidavam ainda com a informática como eu lido com a física nuclear. Daqui a 20 ou 30 anos, quando é que serei eu apanhado por um jovem moderno de bom porte atlético a dizer “Mas, afinal o que é isso do implante neo-submolecular para projecção de sonhos em módulos planificadores de realidade?”.

E, tal como eu, também ele se afastará com uma sensação de superioridade e o pensamento “Epá, há gente que congelou como os mamutes...”

1 comentário:

  1. Eu sou retardada no que toca às novas tecnologias.

    Informática para mim resume-se a uma coisa: internet.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.