1.10.10

J de Jolhos, Jouvidos e Jomoplatas

Se bem que não sejam um exclusivo nacional, confesso que sou um entusiasta dos sotaques, expressões regionais, tiques de fala e defeitos na fala que povoam o nosso Portugal. Embora muitas vezes vítimas de escárnio, maldizer e gozação regular, os seus portadores ajudaram a fazer a diferença.

Se todos falássemos da mesma maneira, com os mesmos termos e com a mesma pronúncia não teríamos tido o prazer de passar tantas horas a debater se se diz “Ver-mei-lho” ou “Ver-mê-lho” ou se não é melhor dizer “Encarnado”. Não havia cá marafados, cimbalinos vs bicas, o Diácono Remédios possivelmente teria ficado em casa sem saber que era engraçado pedir um “Gauão e um bouo”.

Horas de entretenimento auditivo sibilante, cortesia do pessoal beirão, nunca teriam encontrado o caminho até aos nossos ouvidos e uma sopinha de massa seria apenassss uma sssssimpática e ssssssaaudável ssssopinha massa.
Ai Lelloooo, não nos faria lembrar o Quaresma e as tias pseudo-chiques não teriam lugar no nosso código linguístico-aparvalhado. E quando vissemos um compadre de Beja falando assim de manêra arrastada, não ficaríamos judiando com ele só porque si.
Sem estes pequenos pormenores deliciosos, não teria sabido que um napoleão pode ser um mil folhas e muita gente não conseguiria distinguir um cimbalino de uma bica.

Quantos personagens, reais e fictícios, não teriam ficado pelo patamar entediante, se não fosse a sua peculiar forma de falar? Aposto até que alguns de vocês, incluindo fanhosos, ciciosos, ilhéus, mitras, saloios, bairristas, emigrantes e outros que tais, teriam menos para partilhar, no que a este capítulo diz respeito.

E, tal como eu, não poderiam acabar posts relatando um dia em que conheceram uma rapariga e, depois de a ouvir ler uma coisa lhe disseram genuinamente e pensando ajudar, “Se calhar, lias melhor se tirasses a pastilha da boca” e escapassem por um triz de levar uma chapada por alguém menos tolerante a piadas sobre diferenças na fala.

4 comentários:

  1. Acho absolutamente incadretidável que ainda haja pessoas que nao sabem que estas palavras se escrevem com Z!!

    ResponderEliminar
  2. Eu já não dou chapadas a ninguém, já vai tarde.

    ResponderEliminar
  3. Podia ser pior né? Se lhe perguntasses se estava grávida não estando ela de esperanças....

    Parecias uma estrela ó Mak. Brilhaste ao mais alto nível... ;)

    ResponderEliminar
  4. Sr. Mak, olhe que eu sou da zona onde se diz isso dojolhos e dojouvidos. Respeitinho

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.