4.10.10

Como passar incólume por um assalto - Guia básico



Todos os dias sou abordado por pessoas que se queixam de serem vítimas de assaltos e não me refiro apenas aos que se queixam do Governo. Talvez venham ter comigo por verem em mim uma espécie de messias da mitrice, buscando uma solução para um mundo que se tornou vil e insensível, onde o crime e as novelas de qualidade duvidosa impõem o seu jugo sobre o comum cidadão.

Perante essa ingenuidade e, porque não dizê-lo, um pouco de menino-da-mamãzice, aceno a cabeça e digo “Mas vocês pensam que eu ando a vender enciclopédias para o Círculo de Leitores ou quê?”.

Desenrasquem-se ou comecem a correr. Isso tem feito maravilhas por mim.

No entanto, deixo-vos três conselhos sobre o que NÃO devem fazer, perante um assalto comum. Experiências de vida é o que vos dou...

1 – O assaltante diz “Isto é um assalto!”. Vocês NÃO devem responder “Ah sim, não me digas....E eu a pensar que era uma adaptação de uma peça de Ibsen”. Os assaltantes tendem a ser bastante críticos em relação a adaptações teatrais de certos autores.

2 – O bandido pede com alguma veemência e de modo pouco cortês “Passa para cá a guita, ó c”#”#lh@”. Deve, neste caso, ser evitada a tendência para responder “Para que queres tu tanta guita, és algum papagaio? Nem sequer está vento...”. Por norma, os bandidos tiveram infâncias difíceis e recordar-lhes brincadeiras de menino pode causar-lhes traumas e a vocês traumatismos.

3 – O biltre aborda-vos de rompante “Dinheiro e telemóvel, já!”. Reprimam sempre o responsável de Rec.Humanos que tende a surgir neste tipo de situações “Então e seguro de saúde, carro da empresa e isenção de horário, não?”. O biltre tende a viver no imediato e referências a carreirismo podem inluenciar negativamente o seu espírito sindicalista e levar-vos a fazer horas extraordinárias em unidades de saúde.

Caso seja necessário, estou aberto a recomendar o que não devem fazer perante outro tipo de situações comuns em que o perigo e um vilão com maus cuidados dentários nos sorriem de frente.

4 comentários:

  1. Gostei da imagem de verem em ti um "messias da mitrice".
    Talvez de tantos anos que andaste de 42 :D

    ResponderEliminar
  2. Olha lá, mas é suposto nós armarmo-nos em intelectuais quando nos tentam chular?

    ResponderEliminar
  3. é como a S* diz, isso parece o jogo de futebol dos filosofos, dos Monty Python. Eu quando me assaltam faço-me de atrasado mental, é-me muito mais fácil do que tentar ser engraçado.

    ResponderEliminar
  4. Meus caros, reajam da forma que vos der mais jeito. Como estou mais da parte do assaltante do que do assaltado, às vezes tenho dificuldades ao interpretar reacções.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.