28.10.10

Amigos para todas as horas

Existem muitas formas de classificar amigos, como por exemplo: do peito, da perna, chegados, do amigo, de infância, coloridos, virtuais, da onça e de tudo e mais alguma coisa. No entanto, temos algumas falhas no que à divisão dos amigos em termos de horário diário diz respeito e é algo que se devia aproveitar mais, na minha pouco modesta opinião.

Aqui e ali, lá vou encontrando quem me diga que tem amigos da noite, gente que só materializa a sua amizade quando o Sol se esconde depois de ser despejada alguma bebida alcoólica num copo para os convocar. Mas, e quando a noite acaba e esses amigos têm de voltar para o seu abrigo nuclear, faltam ainda muitas horas por preencher.

Talvez faça sentido ter o amigo do pequeno almoço, gente com quem possamos contar sempre que queiramos começar o dia com uma chamuça e um Sumol de ananás e só precisemos de ouvir “Bom dia campeão”. Depois, ficarão caladinhos e seguirão o seu caminho, que não há pachorra para amigos do pequeno almoço que não se calam e ficam a fazer tempo para o almoço.

Depois, o amigo do meio da manhã, que nos vem dar uma palmadinha nas costas e nos diz “como vai isso campeão?”, para depois nos dar uma peça de fruta e sair a cantar êxitos de Tom Jones, enquanto gaba às pessoas as nossas capacidades de confeccionar risotto e beber Martinis de olhos fechados.

Talvez depois do almoço venha o amigo para lavar os dentes, alguém que nos empresta pasta e fica apenas o tempo suficiente para que duas pessoas partilhem momentos com a boca coberta de espuma, sem haver epilepsia à mistura.

Ao voltarmos a casa, porventura podemos considerar o amigo do fim de tarde, que aparece para nos dar um abraço no elevador e sair um andar antes de nós, para as pessoas não pensarem que a música “You’re my heart, you’re my soul” que toca no elevador implica que sigamos juntos para casa de mão dada.

E, porque para nos aconchegar na caminha é preciso algo mais que amizade, deixemos ser o amigo das 22.45 a fechar o dia. E porquê esta hora? Porque o camião do lixo passa às 23 na minha rua e dava-me jeito um amigo que me bata à porta com um sorriso e me diga “Tens lixo para mim, campeão?” e eu responda:

“Tenho”, passando-lhe um saco, fechando-lhe a porta com um sorriso e pondo um fim a esta história.

1 comentário:

  1. lol

    O amigo do lixo é o mais útil de todos, com este tempinho!!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.