15.9.10

O pão por debaixo da sardinha

Às vezes não é o prato principal que dá o sabor especial à coisa. São os pequenos pormenores que ajudam a tornar a experiência deliciosa.

E abrimos assim um espaço dedicado a metáforas baseadas em comida, mas que alimentam apenas a alma (daqueles que não a venderam ainda ao Diabo).

E agora vou agora tomar um ENO mental e já volto.

5 comentários:

  1. Do tipo "dás-me o teu salpicão?" ou do tipo mais-profundo-à-Paulo-Coelho?

    ResponderEliminar
  2. Epá, se vais dar exemplos, ao menos que sejam diferentes... Entre salpicão e Paulo Coelho a diferença é pouca, são ambos enchidos...

    ResponderEliminar
  3. Nesse caso, sugiro o provérbio popular carregadinho de sabedoria:

    "Cada um come do que gosta ".

    ResponderEliminar
  4. Quero ver as sementes do teu pimento...

    ResponderEliminar
  5. A minha favorita:

    O bocado está guardado para quem o há-de comer.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.