23.9.10

C de Cafofo - A sopa de letras continua

Vamos lá com calma, que até para o Makcedário esta pode ser dúbia. Mas, para eu a escolher, quer dizer que a valorizo acima de “chalaça”, “conivente” ou até mesmo “canícula”. No entanto, atenção uma vez mais à turminha do balão mágico, Isto não é algo que eu utilize ao ser confrontado com ursinhos de peluche ou ao contemplar de forma emocionada o pôr do sol.

Um cafofo, falando mais especificamente, é um casebre, um barraco, um espacinho imundo e com poucas condições de higiene. Metaforicamente, poder-se-ia dizer até que poderia ser este blog.

Mas, no meu discurso, um cafofo vai muito para além dessas míseras quatro paredes. Posso usar cafofo para definir o teu lar, para definir o teu nauseabundo micro-espaço laboral ou, pura e simplesmente, para qualificar um bar mal afamado em que, por obra do destino ou do demo, acabaste abraçado a duas senhoras que te insistem em falar em Euros, quando tu só queres dançar até ao esquecimento total.

No final de tudo, cafofo pode até ser usado para vos deixar colocar-me uma questão “Mas que raio se passa dentro desse teu cafofo, que só saem alarvidades cá para fora?”

Eu diria que se passa muita coisa e arriscaria até que nem tudo é legal.

4 comentários:

  1. Na minha rua há uma pastelaria chamada Kafofo. Mas é com K. E não é um antro com más condições de higiene.
    Espero eu, ontem comi lá um bolo.

    ResponderEliminar
  2. Kafofo é como Buraka. Esvazia-se o tom antigo, insufla-se de modernidade.

    E, sobre restauração com K poderei muito bem falar mais lá à frente.

    Já agora, que bolo foi?

    ResponderEliminar
  3. Cafofo para mim... é o que é fofo.

    ResponderEliminar
  4. A minha Avó dizia que haviam muitos cafofos nas redondezas da Aldeia, quando veio para Lisboa ... reclamava que as "cafofeiras" andavam a solta nas rua ...
    :)
    Y

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.