27.8.10

O ripanço do fim de tarde - Um dia na vida de um inútil

Sais cedo. Algumas das pessoas com quem privas saem contigo e chamam-te nomes. Já é habitual, mas como vais de férias é redobrado. No fundo sabes que elas anseiam por passar mais uns minutos contigo, partilhando da tua sabedoria e humildade.

Com um toque de pós-modernismo acedes a ver se o Ferroviário abre mesmo às cinco, para um copinho ou dois a ver caminhos de ferro e rio. Não abre logo, mas diz que é às cinco. Vais até à Graça, tentando não acabar em desgraça. Não acabas, mas bebes um Martini possidónio e divagas filosoficamente. A audiência está muda, possivelmente porque alguns adormeceram.

Ainda com o Sol a bater na cara e a satisfação de estares de férias, lanchas no Frutalmeidas. Sumo de uva, para recordar os tempos de alcoolismo juvenil.


Agora, só mais um bocadinho e vou correr. Não daqui para fora, mas possivelmente daqui ao Estádio Universitário, à Expo ou ao bilhar grande.

Já se vê...

4 comentários:

  1. 9 posts hoje. Não fizeste um caralho dia todo ò Mak. -.-'

    ResponderEliminar
  2. Se calhar eles insultaram a dobrar por causa disso.

    ResponderEliminar
  3. Creio que não estás a valorizar a minha capacidade de escrever rápido e muito, dizendo pouco de jeito...

    ResponderEliminar
  4. Claro que sim Mak. É por isso que cá venho.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.