7.8.10

Discurso da vitória

"Olá, Blogosfera!

Se alguém aí ainda dúvida de que a Blogosfera é um lugar onde tudo é possível, que ainda se pergunta se o sonho de nossos fundadores continua vivo nos nossos tempos, que ainda questiona a força de nossa blogocracia, esta noite é sua resposta.

É a resposta dada pelas filas que se estenderam ao redor de blogs e facebooks num número como esta blogosfera jamais viu, pelas pessoas que esperaram três ou quatro horas (que a net anda lenta, deve ser do calor), muitas delas pela primeira vez nas suas vidas, porque achavam que desta vez tinha que ser diferente e que suas vozes poderiam fazer esta diferença.

É a resposta pronunciada por amantes de sapatos e intelectuais políticos, sedutores adeptos da cantiga do bandido e bloggers que escrevem em versão twitter, grávidas bloggers e baby-bloggers, blogs com layouts negros, com links externos, sem links, com seguidores e sem seguidores, defensores de pools e censuradores de comentários, incapacitados ou não-incapacitados.

Bloggers que transmitiram ao mundo a mensagem de que nunca fomos simplesmente um conjunto de páginas escritas ou um conjunto de blogs com fundo branco ou preto, e os outros.

Somos, e sempre seremos, a Blogosfera.

É a resposta que conduziu aqueles que durante tanto tempo foram aconselhados por tantos a serem info-excluídos, temerosos e duvidosos sobre o que podemos conseguir para colocar as mãos no arco da História da Blogosfera  e torcê-lo mais uma vez em direcção à esperança de uma Internet melhor.

Demorou um tempo para chegar, mas esta noite, pelo que fizemos nesta data, nestas eleições, neste momento decisivo, a mudança chegou à Blogosfera.

Esta noite, recebi um telefonema extraordinariamente cortês do blogo-senador Mak, o Mau.

O blogo-senador Mak, o Mau lutou longa e duramente nesta campanha. E lutou ainda mais longa e duramente pela blogosfera que ama. Aguentou sacrifícios pela Blogosfera que sequer podemos imaginar, desde aturar ressabiadas sem sentido de humor, comentadores que dão erros ortográficos e anónimos com pilinha pequena. Todos nós beneficiamos do serviço prestado por este líder valente e abnegado.

Parabenizo-o por tudo o que conseguiu e desejo colaborar com ele para renovar a promessa deste blog durante os próximos meses.

Quero agradecer ao meu parceiro nesta viagem, um homem que fez campanha com o coração e que foi o porta-voz de homens com os quais cresceu nas ruas da palma, nº 5 e com os quais viajava em sonhos e delírios de volta para sua casa em Pipocawood, o vice-presidente eleito dos EUA, Pipoco Mais Salgado.

E não estaria aqui esta noite sem o apoio incansável do meu melho amigo durante os últimos 16 dias, a rocha de nossa família bloguística, o piloto da minha vida, o próximo primeiro-damo da nação, Capitão Microondas Norte.

Luna e Maggie adoro vocês duas mais do que podem imaginar. E vocês ganharam uma bicicleta e uma cadeira podem trazer conosco para o Blog Branco.

Apesar de não estar aqui conosco- está pelos Algarves e faz muito bem, sei que o meu guru Arrumadinho está-nos a ver, junto com a wireless, e que fez de mim o que sou. Sinto falta deles esta noite. Sei que minha dívida com eles é incalculável.

À minha irmã desnaturada Gata Escaldada, à minha irmã Eduarda dos colares, meus outros irmãos e irmãs, muitíssimo obrigado por todo o apoio que me deram. Sou grata a todos vocês.

E ao meu director de campanha, Prezado da Silva, o herói não reconhecido desta campanha, que construiu a melhor campanha política, creio eu, da história da Blogosfera.

A meu estrategista chefe, Escárnio, que foi um parceiro meu a cada passo do caminho.

À melhor equipa de campanha formada na história da política. Vocês tornaram isto realidade e estou eternamente grata pelo que sacrificaram para conseguir.

Mas, sobretudo, não esquecerei a quem realmente pertence esta vitória. Ela pertence a vocês, eleitorado. Ela pertence a vocês!

Nunca pareci o candidato com mais hipóteses de vencer. Não começamos com muito dinheiro nem com muitos apoios. Nossa campanha não foi idealizada nos corredores de  Pipocawood. Começou nos quintais de Quadripolarcity e nas bancos de trás de taxis e em chãos de alcatifa propícios à prática se Polar-Sutra.

Foi construída pelos bloggers que recorreram aos parcas recursos que tinham para doar 1 like no facebook, 1 comentário no blog ou 1 link nos seus próprios blogs à causa.

Ganhou força dos jovens que negaram o mito da apatia de sua geração, que deixaram para trás os seus servidores Sapo e Wordpress.
Ganhou força das pessoas não tão jovens que enfrentaram o a nabice informática e a ardente vontade de fazer reboot, e dos milhões de bloggers que se ofereceram como voluntários e organizaram e demonstraram que, mais de dois dias depois, um BlogoGoverno do povo, pelo povo e para o povo não desapareceu da Internet.

Esta é a vitória de vocês.

Além disso, sei que não fizeram isto só para vencerem as eleições. Sei que não fizeram por mim.

Fizeram porque entenderam a magnitude da tarefa que há pela frente. Enquanto comemoramos esta noite, sabemos que os desafios que nos trará o dia de amanhã são os maiores de nossas vidas - fashion blogs ao estilo hoje-saí-assim, baby-blogs que põem toda uma Blogosfera em perigo, a pior crise Bloguística na última década.

Enquanto estamos aqui esta noite, sabemos que há bloggers valentes que acordam nos desertos criativos da Blogosfera para dar a vida por nós.

Há bloggers machos e bloggers fêmeas que passarão noites em claro depois de carregarrem no botão de fechar o respectivo blog e se perguntarão como pagarão a Zon ou as facturas da Meo ou como carregarão a banda larga recarregável para preservarem o futuro bloguístico dos seus filhos.

Há novos layouts para serem aproveitados, novas mini-aplicações do Blogger para serem criados, novos perfis para serem construídos e ameaças de selos pirosos e fluorescentes para serem enfrentados, atentados ao bom gosto para serem abolidos.

O caminho pela frente será longo. A subida será íngreme. Pode ser que não consigamos num ano nem em um mandato. No entanto, Blogosfera, nunca estive tão esperançosa como estou esta noite de que chegaremos lá.

Prometo a vocês que nós, como leitores, não conseguiremos.

Haverá percalços e passos em falso. Muitos não estarão de acordo com cada decisão ou política minha quando assumir a blogopresidência. E sabemos que o Quadripolaridades não pode resolver todos os problemas, aliás, pode resolver muito poucos.

Mas, sempre serei sincera com vocês sobre os desafios que nos afrontam. Ouvir-vos-ei, principalmente quando concordarmos. E, sobretudo, pedirei a vocês que participem do trabalho de reconstruir esta Blogosfera, da única forma como foi feita na Internet durante 10 anos, blog por blog, post por post, comentário aprovado sobre comentário aprovado.

E àqueles bloggers cujo apoio eu ainda devo conquistar, pode ser que eu não tenha conquistado seu voto hoje, mas ouço as vossas unhas a marrar na minha poll das lamentações. Preciso da vossa ajuda e também serei vossa Blogopresidente.

Àqueles que pretendem destruir a Blogosgera: vamos apoiá-los. Àqueles que buscam a paz e os concursos apadrinhados pelas marcas: vamos vencê-los.


E quando nos encontrarmos com o ceticismo e as dúvidas, e com aqueles que nos dizem que podemos, responderemos com esta crença eterna que resume o espírito de um povo: Fodemos.

Obrigado. Que Deus os abençoe. E que Deus abençoe a Blogosfera e a Cova da Moura. E o Bairro do Cerco, no Porto. ".

5 comentários:

  1. Dasse... tu não brincas em serviço. Convenceste-me.

    ResponderEliminar
  2. Pólo, só um pequeno pormenor: eu nunca fui "vice" de nada. E isto, parecendo que não, faz toda a diferença.

    (eu, "vice"?... foda-se, e ainda você diz que sabe o que eu fiz no verão passado...)

    ("vice" é o segundo, o que só lá está quando o outro, eu, está de férias)

    ResponderEliminar
  3. Não seja ingrato. "Eu é que sou a presidente da junta", tá? E se reclama muito, nomeio-o Adido, que é bem mais humilhante... Adido da Blogosfera! Pfff!

    ResponderEliminar
  4. Quase, mas quase que chegaste à minha média de palavras por post.

    ResponderEliminar
  5. Dei o meu melhor. Tive que fazer um makeover ao discurso do Obama.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.