20.8.10

Dicas para um turista nada acidental

Suponham que, daqui por um par de dias, serão a minha pessoa. Vou agora dar-vos alguns segundos para recuperarem do êxtase que deriva da mentalização dessa experiência.




Pronto, agora que já estão no papel e coxeiam ligeiramente da perna direita e estão a falar com ênfase nas sibilantes, passemos ao que interessa. Vou, uma vez mais, realizar o meu dia de turismo em Lisboa, cidade onde nasci, cresci e onde vivo. Por norma, pelo menos uma vez por ano gosto de ser turista na minha própria cidade, nem que seja para ter desculpa para usar pochette e sandálias com meias por baixo.

Mas, como sou um tipo que conhece razoavelmente bem a cidade, gosto de me surpreender aqui e acolá, descobrindo coisas novas ou até coisas velhas que não tenham o privilégio de me conhecer. E é aí que vocês, fazendo de mim, podem ajudar. Chutem para aí sugestões culturais, naturais, enfardais, bestiais, secretais, etc e tais, que possam ser interessantes para eu visitar no Mak's Turist Day.

Como é óbvio, qualquer sugestão é lícita, desde que escape ao óbvio.
"Mak e, para além da sensação de higiene duvidosa, o que é para ti óbvio?", perguntam vocês, a fazer de mim, naquilo que já se pode quase considerar uma pergunta retórica.

Coisas tipo Pastéis de Belém, monumentos de três em pipa, miradouros pós-modernos, cupcakes trendy e mais do mesmo. Sejam criativos, como o Mak seria, se fosse como eu, mesmo que fossem vocês. Ah e despachem-se, que só me servem de alguma coisa se for até Domingo.

E mais, num épico de boa vontade, prometo reportagem fotográfica desse dia, algo que só por si já inclui mostrar parte de mim que não costuma fazer parte do cardápio.

Obrigado, vocês são uns anjos. Ou serão uns frangos? Não sei, o que importa é que têm asas.

13 comentários:

  1. Ora aqui vai:
    Mete-te no cacilheiro e vai até Porto Brandão. Para almoçar vale a pena. Para visitar é subir uma rua e descer outra.

    A noite sugiro um pulinho por aqui; http://www.bracodeprata.com/index.shtml

    ResponderEliminar
  2. Martim Moniz. Minimercados chineses e outras nacionalidades.

    Sofia

    ResponderEliminar
  3. posso recomendar-te um tour-bas-fond, onde podes ser assaltado, deglutir pratos duvidosos, até mesmo perder a vida:

    1. jantar na Adega do Duque, é ao pé de um restaurante bom, mas esses não interessam ( o Buenos Aires ). Tasco do pior.

    2. Pai Tirano, bar retro com um barman cusco. Perto do Adamastor.

    3. Cais do Sodré, Oslo. Elementos surpresa constantes.

    4. Pequeno almoço na Tasca do Cid, logo ao virar da esquina, atrás do mercado da Ribeira. Excelentes torresmos.

    Boa sorte.

    ResponderEliminar
  4. Conhece o delicioso buffet do Terra (R. da Palmeira 15 - Principe Real) e o seu terraco/jardim?
    Vale a pena, a serio (cross my heart), mesmo que o Mak seja um carnivoro indesconvertivel (huh?) cuja religiao despreza capim. Nem acredita que nada daquilo e' carne e no fim do jantar, se ainda conseguir levantar-se e olhar para tras e para baixo, vai ver que nao lhe cresceu um pompom no rabo.

    Nao sou vegetariana (nem vegan) mas ha dois anos que ando a fazer risquinhos no calendario a contar o tempo a passar sobre a ultima ida e ja estou a ficar impaciente. Em Setembro... espero!

    maria s

    ResponderEliminar
  5. O Mak não é assim tão picuínhas e pode até deixar sugestões de vegetariano, se a tal o desafiarem.

    ResponderEliminar
  6. Sugiro uma noite de boas conversas e vinho foleiro em bom ambiente e sossegado, aqui:

    http://www.lifecooler.com/edicoes/lifecooler/desenvRegArtigo.asp?reg=401001

    Vale a pena ir durante a semana, fugindo ao reboliço do Bairro Alto.

    Para uma tarde na esplanada e degustar umas quantas iguarias sugiro este:

    http://www.royalecafe.com/

    Passeios a pé, gosto de Alfama (sou suspeita - consta-se que nasci por ali) :)

    ResponderEliminar
  7. Amanhã (sábado), entre as 10h e o 12h30, no miradouro do monte agudo (rua da penha de frança) o sr do blogue O Bibliotecário de babel, vai estar a oferecer livros. são tipo bué deles. E a vista é bonita e tem um quiosque com coisas boas. e é isto que não me apetece pensar em roteiros turísticos.

    ResponderEliminar
  8. Que nao se coma e fac,a parecer que alguem com a voz embargada lhe grita "Aaah turista!!", temos o museu Gulbenkian, o dos Coches, o do Traje, o do Azulejo e obviamente a Casa do Fado e da Guitarra Portuguesa, com certeza.

    maria s

    ResponderEliminar
  9. @Leididi - Por conhecer o dito senhor, sou gajo para aparecer lá com um saco do Pingo Doce para carregar. Depois só tenho de inventar o espaço para os colocar ;)

    ResponderEliminar
  10. Vá ao Mude, ver a nova exposição! Ali na Baixa, sabe onde é.
    E isso de Turista não acidental, era alguma boca, hem?

    ResponderEliminar
  11. Nada mesmo, era apenas a constatação de um facto ;)

    ResponderEliminar
  12. Sugiro uma passagem pelo novo "ginásio ao ar livre público" no estádio nacional. Muito cool com música ambiente dos eighties. Para abrir o apetite ;)

    ResponderEliminar
  13. Apanha um típico taxi lisboeta, embebeda-te no Maxime, vai ao "Finalmente" (ao Príncipe Real) arranjar companhia e acaba no Clube X (perto da Assembleia da República). Se sobreviveres o pequeno almoço é no Hospital de Santa Maria.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.