19.7.10

Maus perdedores anónimos

Quem nunca teve mau perder, que não atire um baralho de cartas com força contra a sua mãe quando era mais pequeno.


Sim, fui eu. Tenho vindo a melhorar, mas ainda me falta muito amargo de boca e inconformismo para palmilhar. Por cada exemplo de mau perder que me dêem, posso facilmente retorquir e acrescentar aqui à lista.

Nunca me importei de perder bem. O meu conceito de perder bem é que é restrito.
Exteriormente, cresci a tentar nivelar a coisa pelo equilíbrio necessário e saudável para uma vida em que o sucesso e a derrota fazem parte da ementa. Nem sempre consegui e cheira-me que, em certos aspectos, nunca vou conseguir.


Bem, antes isto do que a droga ou gostar de novelas.

9 comentários:

  1. Ai nisso sou tranquila... desde que não seja a batota, não me importo de perder.

    ResponderEliminar
  2. O meu "mau perder" é uma doença tão ncurável que não desisto de lhe ganhar.

    ResponderEliminar
  3. MPA, onde é que está aquela parte que não sei se aqui funcionará bem...em que subimos ao palanque e dizemos " não perco nada à um ano"

    ResponderEliminar
  4. Não tenho mau perder, mas sou muito bom a perder-me...

    ResponderEliminar
  5. Eu sei que isto te vai parecer que não tem nada a ver e que eu, pralém de "gostar" de Mafalda Veiga, posso ser doente mental, mas eu fiz dois cursos de Clown, que de palhaço não tem nada, e que te ensinam a lidar com o fracasso/derrota. Tenho-te a dizer q o dito foi decisivo na minha vida. O prof é um bacano do melhor, chama-se José Sebastião e é um fixeee: http://cursosdepalhaco.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Fora que me ri como gente grande durante dois fins de semana. Mto bom, recomendo, pelo menos perde-se peso.

    ResponderEliminar
  7. Se eu não fosse já palhaço que chegue, era sem dúvida uma boa dica. Ia lá envergonhar as pessoas e isso também não é preciso.

    ;)

    ResponderEliminar
  8. Eu quando perco, acabo por bater às pessoas.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.