26.7.10

A lenda dos fins de semana fora

A lenda começa quase sempre com “Fui passar um fim de semana fora”. Depois, a doutrina divide-se:
Os mais afortunados evoluem sobre as maravilhas que testemunharam, partilham fotos deslumbrantes e ligeiramente artísticas de paisagens naturais, faustosos manjares e momentos que tocam no coração (pelo menos daqueles que o têm).

Já aqueles a quem o azar e o infortúnio acompanham sempre que vão a algum lado, o pós fim de semana fora serve para destilar a raiva acumulada por dois dias em que tudo o que podia correr mal correu e mesmo aquilo que não era possível correr mal, descarrilou. Aí, é o lamento que soa mais alto, quer na versão dramática, quer na versão bem portuguesa da auto-ironização da desgraça. É impossível não sentirmos uma ligação emocional com essas pessoas (pelo menos aqueles capazes de sentir emoções).

Mediante este cenário, resta uma questão importante – Então e os realmente parvos que vão passar fins de semana fora?

Ok, tudo bem, a maior parte dos parvos encaixa-se numa ou outra das categorias anteriores, mas quando por realmente parvo se entende EU, a coisa muda de figura. Neste caso, o mais importante não é se o fim de semana correu bem ou mal, porque eu tenho a capacidade de mentir sobre isso das mais variadas maneiras, mas o que é que dá uma boa história.

Portanto, digam-me vocês como é que correu o meu fim de semana fora, que eu agora vou ali dançar umas mornas ao pé da bomba de gasolina só para me esquecer que hoje vão estar 40 graus.

5 comentários:

  1. O teu fim de semana deve ter corrido bem, tendo em conta o clima que teve na terra daqueles bancos de jardim. O mar também esteve optimo... A não ser q tenhas tido um grande azar, aposto q correu bem!

    ResponderEliminar
  2. O teu fim de semana correu fora das expectativas previstas.

    Era para ser um fim de semana abancado e afinal correu num ápice.

    ResponderEliminar
  3. Tu não foste a lado nenhum, pá.

    ResponderEliminar
  4. Trabalhei no sábado, fui a um casamento sem ser convidade e em que não conhecia ninguém, e molhei o real rabo na água gelada ali da linha. Mau suficiente para uma história. Beijos

    ResponderEliminar
  5. @ Sam - Não andas longe da realidade, mas também jogas com o factor casa ;)

    @ Ene - Há provas que eu estive no banco, mas faltou-me clientela. Se for preciso lá mais para a noite eu provo-o.

    @ Wiwia - Eu sou como o outro tipo, basta-me ir a todo lado para não ir a lado nenhum, tipo omnipresente com defeito.

    @ Pipoca - Trabalhar ao fim de semana, também já tive disso, mas na minha modesta existência só fui a um casamento e por acaso fui convidado, por isso já é efeméride suficiente.
    E este rabo foi banhado para além da linha e sem razões de queixa da temperatura.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.