9.7.10

Frigonóia

Abriu o frigorífico sem bater primeiro.

Então, já não se bate, perguntou-lhe o abacate.
É muito mal educado, desabafou o que sobrava do guisado.
Na volta é só quando vem aqui, aventou o abacaxi.
Aqui e em todo o lado, provocou o gelado.
Nem deve ter lavado as patas, queixou-se o pacote de natas.
Nunca vi tanta preguiça, admirou-se a linguíça.
Olha só aquele trombil, gozou o tamboril.
Se ao menos ainda disfarçasse, lamentou-se a alface.
Vai-te embora ó melga, lançou o chocolate belga.
Vais-te embora sem um beijo? Atirou-lhe uma fatia de queijo.

Fechou a porta meio espantado.
Afinal o seu frigorífico não era tão cool como pensava.

6 comentários:

  1. Que desilusão, um frigorífico sem vinho. Ainda para mais ia bem com qualquer diminutivo.

    Uau.

    ResponderEliminar
  2. Um frigorífico com muita personalidade!

    ResponderEliminar
  3. Ai de algum chocolate que me mandasse embora do meu frigorifico.

    ResponderEliminar
  4. Isso dava um belo repasto!
    Mas não aconselho a guardar o chocolate no frigorífico - apanha os sabores de tudo o resto! Chocolate com sabor a cebola é especialmente interessante...

    ResponderEliminar
  5. e a manteiga? a manteiga foi bem mais meiga nao?

    ResponderEliminar
  6. O que é que o gajo andava a fumar?...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.