28.7.10

Eu e uma freira, no mano a mano

Na raça, no duro, sem medos.

A velha, certamente fazendo do seu um mau hábito, sai do prédio, entra a pés juntos e começa-me a falar de trampa de cão, deixando insinuações e acusações implícitas pelo meio de um mix de castelhano e português.

Eu, que por acaso trazia um cão pendurado por uma trela, fico a olhar para ela, questionando-me se as palavras do dito Senhor falavam em dar a outra face ou uma marrada old school. Quando esta versão apinguinzada de Concha Buíca decide fechar a matraca, quem é que aparece em cena.

O Sr. Saquito.

Vindo do meu bolso, este senhor é composto por um saco de plástico, a minha mão lá dentro e um sentido de ética e comédia muito peculiar. Semelhante a uma marioneta a abrir e a fechar a boca, o Sr. Saquito lá foi explicando à Irmã Gaga que não era bonito fazer acusações sem saber do que se fala e que, da mesma maneira que nem todos os padres abusam de criancinhas, nem toda a gente que passeia cães deixa nos passeios instalações de trampa a estragar a vida dos servos de Deus e outros transeuntes.

Olhando espantada para o Sr. Saquito e depois para mim, fez uma expressão penitente de quem já sabe que hoje as fustigações com raminho de oliveira vão custar mais um bocado.

Seguiu o seu caminho. Nós também, na alegria do Senhor.

8 comentários:

  1. é o que dar tomar o todo pela parte. mas depois confessa-se, deixa lá

    ResponderEliminar
  2. HAHAH
    É o que se chama a "conversa de merda" (louvado seja o senhor).
    Fico contente que sejas daqueles que acredita que a trampa de cão não dá frutos. Não vale a pena plantar.

    ResponderEliminar
  3. Uma bofetada de luva branca portanto.

    Só é uma pena que nem todos saibam fazer acompanhar-se do Sr. Saquito.

    ResponderEliminar
  4. E aos pouquinhos se vai longe! Ou, neste caso, aos pouquinhos se volta ao mesmo. Os posts do Mak estão a regressar ao seu conteúdo normal (não estou a falar de trampa, não me interpretem mal...)!

    Saudações Mak, gostei de te ler com um toque de sensibilidade em dois posts seguidos!

    P.S- ia jurar que esse teu mano a mano com a devota ia acabar de outra forma (Deus perdoe a minha pobre alma)!

    ResponderEliminar
  5. Resta saber, para os meus parâmetros, o que é normal.

    Por exemplo, estou a comer agora um pão com chouriço e a beber um chá.

    ResponderEliminar
  6. O raio da freira conseguiu falhar logo no oitavo mandamento: Não levantar falsos testemunhos...

    Deve ter faltado ao seminário que aconteceu na FCT (Faculdade de Ciências Teológicas) e que abordava este mandamento.

    ResponderEliminar
  7. Aturei freiras tanto tempo q não posso com elas e adorava, só por um bocadinho, ter "sido tu" nesta história. Era tão bom...!

    ResponderEliminar
  8. Penduras o cão na trela?Isso parece-me uma bocado estranho. Ele não se revolta?

    *brincadeirinha*

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.