18.7.10

Cinco minutos de aeroporto

É natural que, entre os vários minutos desocupados que preenchem a vossa vida, tenha surgido uma preocupação nos últimos dias: “Ó Diacho, mas onde raios tem andado o Mak, que não o tenho visto muito por cá?”.
Primeiro que tudo, não acho muito correcto esse tipo de linguagem brejeira comigo à mistura, em segundo lugar, a verdade é que vocês nunca me viram mesmo, por isso é uma espécie de realidade paralela criada pela blogosfera que vos pode atormentar um pouco o raciocínio.

Tenho andado ocupado e, de uma tal maneira, que nem sequer tenho tido tempo para salvar o mundo ou acabar com a fome em África. Já ter dado para cortar o cabelo já foi uma sorte. A coisa tem andado de tal maneira que até comigo próprio tenho tido dificuldades para marcar coisas. Sorte que hoje, por acaso, encontrei-me no aeroporto e tive tempo para me cumprimentar e dar dois dedos de conversa.

Sabem aquela emoção especial que nos invade no aeroporto, quando vimos famílias que chegam e se unem com os que os esperam. O abraço de uma mãe e de um filho, o beijo entre amantes que reacende a paixão, o calor da amizade que prova que estás de volta ao teu país, o calor dos sorrisos à nossa volta, a surpresa de quem chega pela primeira vez e o indivíduo com a placa a dizer “Mr. Epaminondas” que é beijado por um velhote que chega, porque lhe mentiram e disseram que isso era tradição neste país?

É bom que saibam e guardem isso bem guardadinho no vosso íntimo, porque não contem comigo para essa fanchonice. Ai o aeroporto é fofo e lindinho. Não, é um ponto onde se vai de A para B. O resto foram coisas que os filmes vos meteram na cabeça.

E, se continuam com essas ideias, não me apanham por aqui tão cedo.

6 comentários:

  1. Eu sempre liguei aeroportos a reencontros...

    ResponderEliminar
  2. Não percebes nada de aeroportos, está visto.

    ResponderEliminar
  3. Experimenta viver no estrangeiro e regressar ao teu país só de vez em quando e vais ver como o aeroporto passa logo a ser o lugar mais lindo do mundo - à chegada, claro, e partindo do princípio que as bagagens também chegaram contigo. :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Quer dizer então que posso tirar da ideia a hipótese que coloquei, de vocemecê ser a Linda de Suza ou o Roberto Leal? Damn!

    ResponderEliminar
  5. Eu partilho dessa opinião: o aeroporto não é um lugar fofo e lindinho... É um sítio de passagem, o lugar mais secante do mundo (talvez até mais que as salas de espera dos consultórios), onde temos que estar se quisermos chegar depressa a um outro sítio! Que pode ficar do outro lado do mundo, mas que tem também de certeza, um aeroporto tão chato como aquele em que estamos...

    ResponderEliminar
  6. Um aeroporto é uma estação de autocarros. E os aviões são autocarros. Nada mais, nada menos.

    E eu não acho os autocarros particularmente fofinhos.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.