23.5.10

Rádio Gagá

Gosto de rádio. Não tendo tanta afinidade com o elemento químico, refiro-me ao rádio enquanto elemento difusor de música, informação, etc. E, embora vos vá dispensar de umas quantas linhas galantes acerca dos mistérios e sedução das grandes vozes da rádio, de episódios marcantes que se passam ao som de melodias radiofónicas ou de debates e reportagens que moldam consciências, posso dizer que é de um pequeno etc que vos vou falar.

Chama-se "spot de rádio" ou, como é também comum definir, "os anúncios de publicidade que passam nos intervalos da música e da informação". Uma boa parte do que se ouve é mau ou, pelo menos, tão insignificante que não passam de 20/30 segundos que nem chegam a fazer parte da nossa memória. Mas, para quem ouve rádio e possa apreciar, contar uma história que te capte a atenção em 20 segundos para depois passar informação sobre dado produto ou serviço não é fácil. É preciso ter arte.

Quando a coisa resulta bem, há frases e expressões que ganham vida para além dos segundos que estão no ar e passam a fazer parte do nosso quotidiano. Quando a coisa é horrível, curiosamente isso também pode acontecer.

Se quiserem exemplos bons, procurem-nos em blogs da especialidade ou peçam com jeitinho que eu digo. Para os casos piores, fica só um exemplo recente que já tive oportunidade de ouvir várias vezes, mais por força das circunstâncias do que por masoquismo.

Num ambiente de festa ouvimos um jovem a dirigir-se a uma rapariga e dizer-lhe algo como "Desculpe, mas é mulher mais deslumbrante desta festa. Posso oferecer-lhe um café?". Ela responde-lhe tipo "João, sou eu a Ana. A tua namorada...". A voz de companhia diz-nos então que a Ana já foi a um centro fashion qualquer e por isso é natural que esteja deslumbrante.

Armaram-na bonita. Não só é incoerente, como é muito pouco plausível. Desde um tipo que aborda alguém numa festa conjugando "deslumbrante" e "posso oferecer-lhe um café", como está a tentar bater um couro a alguém que julga não ser a sua namorada, ainda por cima num local onde a mesma pode estar. A reacção dela, também é muito natural. Numa situação normal uma mulher relembraria que, de facto, era a sua namorada que ele não reconhece. Mas por meio de um golpe de ninja bem aplicado num sítio que deixe marcas.

Talvez o centro de estética também faça cirurgia de recuperação facial...

5 comentários:

  1. Por acaso já havia pensado nessa mesma questão. Este anúncio é uma pérola de estupidez e tacanhez de espirito...

    Poderia ser um anúncio para pertencer à classe de "anúncios estúpidos que ficam na cabeça dos consumidores"...mas nem isso!

    ResponderEliminar
  2. "Tem um vestido tão original"


    --'

    ResponderEliminar
  3. Ora até que enfim que alguém aborda esse anúncio na blogosfera. Eu ficaría-me por rotulá-lo como "um dos mais idiotas de sempre!"... mas a forma como tu o definiste é digna de palmas!!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.