4.5.10

Mini histórias com barbas

Ernest Hemingway. Indivíduo de barbas com propensão para a literatura e outro tipo de materiais suspeitos, segundo reza a lenda, terá uma vez respondido à questão sobre qual seria a sua melhor short-story com esta frase:

"For sale: Baby clothes, never used."

Há que reconhecer, o folião barbudo sabia do seu ofício e em seis palavrinhas saca de um conceito supimpa que vale por si só, mas também por toda uma margem de manobra para a imaginação.
Não tendo eu aspirações de suplantar o tio Ernesto, achei que estava na altura de exercitar o meu poder de síntese e tentar algo no género. No entanto, sendo um alarve em termos de produção de conteúdos, vou já avançar com cinco exemplares do género.

“Benfica perde, jantar frio– sopeira sem dentes.”

“Atende no Saldanha, jovem universitária desinibida”

“Bebia para esquecer uma vida de engarrafamentos”

“Aluga-se copo de água. Convidados e noiva incluídos”

“Trespassa-se – Coração. Motivo: Falta de uso"


E nem mais uma linha.

13 comentários:

  1. Gostei epecialmente da última

    ResponderEliminar
  2. Nada supera o (e atenção que eu li isso com os meus próprios olhos):

    "Se não houver bacalhau com natas na lista, é porque não há"*

    *Poderia ser uma piada parva, mas não! Trata-se de uma informação importante escrita numa ementa de um restaurante, algures no Alentejo.

    ResponderEliminar
  3. (Meu caro, Mak, isto é um manancial, um convite à perversidade...)

    (como a notícia dos dois tomates que atravessavam a estrada e um avisou o outro para ter cuidado com o carro, ploffft, ao que o outro terá respondido "qual carro?plooooft".)

    ResponderEliminar
  4. “Bebia para esquecer uma vida de engarrafamentos” - é mais ou menos isto, sim. Não sabia que me conhecias...

    ResponderEliminar
  5. @ Vera - Eu achei a última um lixo. Mas eu também não tenho coração.

    @ Miss - Não duvido. Eu já fui a um que cobra uma taxa de 5€ por alimentos trazidos de fora.

    @ Pipoco - Caríssimo, manancial é a palavra do dia e tomates a atitude da praxe. Por isso, está devidamente enquadrado.

    @ Pipoca - É natural que não te lembres, com a bebida a memória de curto prazo é a primeira a ir às malvas ;)

    ResponderEliminar
  6. Mak, então e esta:

    Cinco litros, nada de bebedeira.

    ResponderEliminar
  7. “Trespassa-se – Coração. Motivo: Falta de uso"

    Conheço essa obra.

    ResponderEliminar
  8. Mak, penso que o mundo está como está porque deverias substituir a palavra "coração", por um qualquer órgão reprodutivo conveniente.

    Adiante, eu vejo isto como uma história(não é Hemingway, mas é Cuecaway):

    Ele conhece a jovem universitária no Saldanha, o Benfica perde sistematicamente e ele fica desmoralizado. Inicia uma vida de alcoolemia, pede a Saldanhense em casamento num dia em que abusou do absinto e acaba a trespassar o coração, que fica, daí em diante, a pertencer à jovem saldanhense (que usa cinta adelgaçante).

    Mui'tagardecida.

    ResponderEliminar
  9. Confessa, das duas uma: ou fazes biscates de guionismo nas novelas da TVI ou não viste o prazo do antibiótico e dos comprimidos, que continuaste a tomar porque até parecia que sabia a tang...

    ResponderEliminar
  10. Isso não são duas opções, até porque toda a gente sabe que para se ser guionista de novela é preciso tomar qualquer coisinha "extra".

    Não, sou mesmo só parva.

    ResponderEliminar
  11. sendo eu ateu no que toca a comentarios nos blogs, nao li nada do que esta para tras e assim sendo atrevo-me a dizer que essa tirada do Ernesto ficou famosa por ser com 6 palavras, coisa que tu nao respeitas, sobretudo, na frase com referencia ao Benfica.

    Vamos lá a atinar senao rogo-te uma praga em que teras de ficar preso numa fila de transito pedestre por causa do papa!

    ResponderEliminar
  12. Só para ti "“Benfica perde, jantar frio– sopeira desdentada".

    Seis palavras. É só eu querer.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.