18.4.10

Rafelectire sobre o futuro

Estou a trabalhar num novo acordo ortográfico e, neste título, já se vê que é algo com potencial. Mas, como potencial é o sal que move este blog e impele os meus dedos, a par da humildade, deixo aqui algo para rafelectirem.

E que tal, durante a próxima semana, pelo meio da minha verborreia habitual vos dar a hipótese de escolherem uma espécie de tema para um "especial de corrida". Dar-vos-ei algumas opções, enquanto choram copiosamente por já ser Domingo e amanhã já não poderem andar com o pijama do Noddy pela casa.

- Retrato de Mak, o artista, enquanto jovem - Um espelho sensível de algumas peripécias que ajudaram a definir o carácter desta personagem. Poderá incluir trechos de James Joyce e também de Rudyard Kipling.

- There can be only one - Ao melhor estilo dos imortais, farei um texto sobre um tema a pedido de um visitante aqui do burgo. Qualquer tema é válido, qualquer tom também. Se esta hipótese vencer, eu explico como é que isto se processa.

- Q&A - Vocês perguntam, eu respondo. Um dia inteiro dedicado à filosofia, ao conhecimento intrínseco da humanidade ou demência pura. É o que estiver a sobrar na loja.

- O tema - Numa caixa de comentários, milhares de pessoas lutam para votar em temas pré-popostos. Através do consenso, o pequeno Mak irá, no dia seguinte, escrever 3 textinhos sobre o mesmo tema em registos diferentes. Um pardieiro de emoções no seu auge.


E agora, vou ali comer um gelado e já volto, que isto mexe comigo.

11 comentários:

  1. Quero um texto em que discorras acerca de todo o potencial da troca de gémeos. Quando nos dão um livro ou um filme que já temos vamos trocar. Quando os putos têm cromos repetidos também os trocam. Porque não fazer o mesmo com filhos gémeos? Pra quê ficar com dois iguais? Porque não trocar com alguém que tenha um prá troca?

    ResponderEliminar
  2. Por mim podes discorrer sobre o facto dos telemoveis novos serem pautados quando se esta a escrever mensagens.
    Isso ou um QiA.

    ResponderEliminar
  3. There can be only one.

    (Agrada-me)

    ResponderEliminar
  4. Tudo menos o Joyce!!! Não fiz mal a ninguém!

    ResponderEliminar
  5. Eu quero a parte do pardieiro, de emoções pronto (ou de qualquer coisa)

    ResponderEliminar
  6. Imortais ! Imortais! Também um post ao estilo "quando o telefone toca " era coisa para dar trabalho ao Mak ... o trim trim também pode ser ! ;)E o Mak precisa de exercicio!

    ResponderEliminar
  7. There can only be one, decididamente. By the way, também gostava de ver isso da poesia. Ah, e gostava que escrevesses um texto muito muito piroso ao estilo da Margarida Rebelo Pinto. Eh eh he

    ResponderEliminar
  8. Retrato de Mak, o Mau - uma Análise Morfológica, Sintática e Fonética

    ResponderEliminar
  9. Para mim pode ser um retrato de Mak, através de um texto que reflicta a visão sobre o pensamento tântrico, que responda à questão “O que me provoca verborreia mental?”. Eu voto numa sessão de luta em papas Nestum. Dizem que deixa a pele macia.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.