28.4.10

Perdidos na tradução

Um coração de pedra, uma arma escondida,
Posso dar-te vida, Posso tornar-ta negra
Um coração de pedra, Uma arma escondida,
Estou a tentar perceber, estou…
Porque só te inferiorizas?
Porque não te valorizas?

Volto
as costas à luz
Torno-me
adulto
Procuro
A minha alma

Queria
Morder e não destruir
Senti-la
por dentro
Procuro a minha alma

Ela não está a pensar bem
Ela não está a pensar bem

Ela uma mente tão suja e nunca, nunca pára
E o teu sabor não é o dela, nem nunca, nunca será igual
E não lemos os jornais, não ouvimos as notícias,
O céu não nos chega, nunca seremos enganados

E se sentires um pouco para trás
Vamos esperar por ti no outro lado
Porque estou em brasa
Sabes que fico em brasa quando chegas
Sabes que fico em brasa
Sabes que fico em brasa,
Por isso acaba comigo.


Calma, o fim do mundo ainda não é hoje.

É que o inglês é muito posh, o inglês é muito trendy e fica sempre bem mostrar que se tem um golden heart and a groovy mind. Já quando se traduz, ainda que livremente uma letra para português, até a faixa mais sensível fica ali num cruzamento entre um êxito do Clemente, uma balada do Abrunhosa e uma letra dos Adiafa. Por isso, antes que comecem para aí a pensar que vesti uns collants e abracei uma carreira de poeta lírico, tentem mas é descobrir de onde é que eu traduzi isto.

Pode ser que o mais rápido ganhe um prémio. Daqueles que não interessam sequer ao Baby Jesus.

10 comentários:

  1. http://www.youtube.com/watch?v=pm5Li08_ie8

    O que ganho?

    ResponderEliminar
  2. Injusto, ler a letra em português é como descobrir que o Ricky Martin é gay, eu saber, sabia, mas não queria que fosse oficial...

    Deixem-me sonhar com letras profundas e lógicas, pá!

    ResponderEliminar
  3. Aqui vai uma inconfidência (em surdina, que as paredes têm ouvidos):

    Quando alcoolicamente bem dispostas, eu e umas amigas, costumamos cantar nos bares, alto e bom som, para quem nos quiser ouvir, as musicas que estão a passar, já traduzidas para a bela língua de Camões.
    Além de ser intelectualmente estimulante - fazer uma tradução (livre) simultânea naquele estado -, torna-se deveras hilariante, quando descobrimos pérolas como esta que acabaste de referir.

    Hás-de experimentar! Ou não...

    ResponderEliminar
  4. Sou surda!
    Tenho prémio na mesma ou denuncio-te por discriminação?

    ResponderEliminar
  5. @ Complicações - Bem, podes escolher um tema que gostasses de ver abordado neste blog. Ou, ganhas um vale-brinde-oferta, caso desejes e eu faço um texto para o teu blog, num tema também à escolha.

    @ Margarida - A profundidade está lá, nem que seja profundamente piroso em português.

    @ Brunhild - Também faço isso com o álcool, mas por norma é no local de trabalho...

    @ Pólo - Se fosses curda, aí sim, terias prémio de apoio à minoria. Assim, o meu departamento legal diz que não é preciso...

    ResponderEliminar
  6. Surda, def. Aleijada dos ouvidos, pá!

    ResponderEliminar
  7. Quanta agressividade, vê-se mesmo que és uma dura....de ouvido.

    ResponderEliminar
  8. Na verdade só queria ganhar. Sou aquela que concorre a tudo e não resiste a coisas "grates".
    Como tenho ando a precisar de alguma criatividade no blog é isso mesmo que vou escolher. que venha dai um texto sobre a convivencia de números e simbolos num qualquer teclado.
    Eu sei que não suficientemente apelativo, mas neste momento é a única coisa que me ocorre.

    ResponderEliminar
  9. Realmente, isto visto assim parece a mais pura das músicas de arraial!
    kiss

    ResponderEliminar
  10. Eu com os copos também costumo desatar a cantar as músicas em português, e algumas percebo logo que estão ao nível de qualquer letra de Tony Carreira. Medo

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.