13.4.10

Passatempo Agarra Aqui - Revelação

Último comboio para lado nenhum - A partida

Um grupo de personagens deambulava por uma estação de comboios já a noite ia avançada. O que faziam ali todos juntos? Sendo um grupo de personagens, iriam fazer o que o autor, vulgo eu, decidisse. No intercomunicador soou uma voz roufenha:

“O último comboio para Lado Nenhum entrará na plataforma 3 daqui a dois minutos. Apeadeiros em: Pera-aí-que-já-lá-chegas, Estás-aqui-estás-ali e Aguenta-que-o-pai-já-vai”.

“Dois minutos? Mais dois minutos? Mas eu tenho apenas 24 horas, estes gajos estão a brincar comigo!” Ninguém ligou muito ao desagravo de Miss Complicações, já que estavam todos mais preocupados em perceber onde era a plataforma 3 numa estação que tinha apenas uma linha. Proferindo impropérios, Miss desapareceu por uns instantes.

Dois minutos mais tarde deu efectivamente entrada na linha 3, que era também a linha 2 e a linha 1 o último comboio para Lado Nenhum. Não era nenhuma merda mágica tipo Harry Potter, era uma locomotiva e uma carruagem, com aspecto de quem já não iam a Lado Nenhum, a não ser obrigados.

Um a um, os treze passageiros foram entrando, despedindo-se das poucas figuras que tiveram pachorra para esperar até aquela hora só para entrarem em duas linhas da história. Vera despedia-se de um nabo que, sendo um nabo, estava mais preocupado em ajustar o guiador da sua BMX. Fausto abraçava ternamente uma girafa que, curiosamente, se mantinha quietinha. O facto de ser feita de madeira poderia justificá-lo. A Gata Escaldada segredava algo demoradamente ao ouvido de um marreta, o que incomodava uma Besta qualquer. Essencialmente porque o marreta era um fantoche e estava preso à sua mão.

Ariadne, mulher dada às viagens, serviu-se de um complicado aparelhómetro para calcular que estava na hora de partir. Os outros passageiros fizeram o mesmo, mas porque o intercomunicador anunciou “Última chamada para Lado Nenhum”. Miss Complicações desapareceu uma vez mais, desta vez para dentro da carruagem.

Sendo apenas uma carruagem, com poucos adereços e modernidades era natural que se fossem observando uns aos outros, conforme foram entrando. Tal não se aplicava a Flávio, já ocupado a migar umas bagas de zimbro. O comboio arrancou e a viagem para Lado Nenhum tinha assim início.

De repente, RL, que até aí se tinha entretido com umas asinhas de frango do seu farnel, debaixo do olhar ávido de Outra Besta qualquer, interveio:

“Oiçam, ou melhor, escutem isto”.
Dois minutos mais tarde, não se ouvindo nada, Gui achou por bem intervir.
“A frase foi sexy e posso dizer que estes dois minutos foram também bastante sexys, mas escutamos o quê?”

“Oh, nada e tudo ao mesmo tempo. É na escuta que ouvimos e captamos a essência das coisas e....” RL gostava de escutar e não tinha medo de o demonstrar, mas foi interrompida.

“Escuta lá isto” ataviou Flávio “onde é que é o bar aqui da cena? É que estas bagas de zimbro não dão sequer para um copinho de genebra e eu escutava agora era um gin tónico”.

“E um Jim Morrison não escutavas?” é preciso ser uma Besta qualquer para arriscar estes trocadilhos.
Mnemósine, que vinha ganhando alento com o parlapié que se gerou, resolveu participar “Ai, que nervos. Todos a falarem e assim não consigo partilhar uma ideia que tive. Uma coisa que podíamos fazer para o tempo da viagem”. Miss Complicações resmungou novamente por causa do tempo e por só ter 24 horas, desaparecendo em seguida.

“Mas isso é extremamente sexy” comentou Gui.

“Já sei” Sophia tinha saltado e acordado Fausto, que dormia agarrado a um poster de uma girafa “Vamos fazer uma boda”.

Olharam uns para os outros, sem ninguém falar. Miúda-mulher, colocou uma mão no ombro de Sophia e disse-lhe em tom baixo. “Para isso, alguém tinha de se casar antes....e aqui no comboio, é capaz de não dar jeito”.
“Oh, podia ser um momento quase perfeito”. Sophia baixou os olhos e deu um pontapé noutra Besta qualquer só para se sentir melhor. Pela parte que lhe tocou, ele não partilhou o sentimento.

“Ai que nervos, não é nada disso”, exclamou Mnemósine “Vamos é dizer porque é que cada um de nós está aqui a viajar para Lado Nenhum”. A Gata Escaldada que trocava uma receita de sopa de nabo com Vera bateu palmas. Não, afinal foi só para matar uma mosca.

Ariadne registou a ideia noutro aparelhómetro destinado a registar boas ideias. Havia quem lhe chamasse bloco de notas.

Quem disse que as boas ideias não iam a lado nenhum?

(continua)

20 comentários:

  1. Protesto sufragista?
    Revolução gramatical?

    ResponderEliminar
  2. :D É do quaral.... não achas?

    ResponderEliminar
  3. Quara... é a "Irmã do Ano do Búfalo" que diz! :) Revolução gramatical na Bicha do Demónio era uma coisa linda.

    ResponderEliminar
  4. Já vi que continua. Não percebo é por que anda a tal Complicações a deparecer sempre. Já agora... onde entra a história do Sebastianismo? Foi só para chatear?
    Boa, boa... Grande momento de literatura. :p

    ResponderEliminar
  5. Semmpre excluída! Amuei. Vou fechar o meu blog e a culpa é sua. Prepare-se...

    ResponderEliminar
  6. @ Miss - Sebastianismo, desaparecimentos...hmm, hmm, deixa lá ver se arranjo uma relação.

    @ Dra. Pólo - Não colocou em acção o seu olho de lince quando abri tão excelso passatempo e agora toca-me aqui harpa à porta em jeito de tragédia grega. Veja lá o que me arranja que eu sou monge budista mas só às segundas 5as de cada mês.

    Vá lá abrir o blog e mostre como negoceia a sério uma mestra dos RH.

    ResponderEliminar
  7. Ah! Foi por causa disto? Sôtora Polo Norte? Allô? Allô? Ali em baixo diz "continua..."

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Continuará certamente, mas com as mesmas cobai.... eehhr participantes que se chegaram à frente dois ou três posts atrás.

    Mak, o apologista dos regulamentos a la balcão das finanças.

    ResponderEliminar
  9. Quem é o Pipoco mais salgado?

    Exercício: fui lá deixar dois comentários a picar a pipoca. Resultado? Nenhum dos dois foi aceite.

    hum.... não posta comentários que dêem uma alfinetada à pipoca.

    Ou seja, o próprio blog (O pipoco mais salgado) é uma alfinetada à pipoca, mas só não publica comentários a picar a pipoca.

    Coerência acima de tudo.

    engraçado, um simples exercício para ver se o autor deste blog teria isenção para postar comentários a cascar na pipoca, (comentários esses sem no entanto irem pela via do insulto), e o autor do blog não postou os comentários.

    Afinal, já se vai fazendo umas luzes acerca do autor: o namorado.

    ResponderEliminar
  10. E onde é que eu me enquadro nisso Tó?

    Sinto-me um bocado excluído desse comentário.

    ResponderEliminar
  11. Tó:

    Tarda nada dizes que o Pipoco também deve fazer habilidades com os Corn Flakes.

    (Mak, o Mau. Desculpa mas foi mais forte do que eu...)

    ResponderEliminar
  12. Tó clismo. (não resisti à piada farsolas)

    ResponderEliminar
  13. Ai que nervos, Mak, que mau! Deixar as pessoas num frenesim..o próximo episódio não estará disponível para download pirata?

    ResponderEliminar
  14. Mak:
    Até à parte do desaparecimento eu percebi, até pq foi essa a motivação para a escolha da palavra. Mas não era suposto utilizares o nome sebastianismo?
    Assim é fácil, caramba!

    ResponderEliminar
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  16. A trivela dará golo? É que ainda tenho de ir à feira de Carcavelos comprar uns anéis de "oiro" e uns bricos de brilhantes que o tio do Quaresma garante serem verdadeiros.

    ResponderEliminar
  17. Imaginei-me mesmo a pedir para escutarem dois minutos de silêncio! E foi sexy, combina! ahah sobretudo, se enquanto estivesse a falar lambesse os dedos da gordura das asinhas de frango e palitasse um dente com um ossinho!

    ResponderEliminar
  18. It ain't over until the fat lady sings

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.