9.3.10

Uma pequena história

Gosto de histórias, por mais pequenas que sejam. Por mais trivial que seja o seu assunto. Porque uma história, quando bem contada, é algo que vai dar valor acrescentado aos minutos que perdermos com ela, ao dia em que se passou, ao ano em que ocorreu. Em suma, à nossa vida.

São histórias que se contam às crianças para lhes alimentar a imaginação. São histórias contadas entre adultos que ajudam a tirar um pouco da rotina do quotidiano, que conquistam ou afastam, que dão vida a serões bem passados, entre a imaginação e a realidade uns dos outros.

Uma história, verdadeira ou falsa, é um instrumento poderoso, pronto a ser usado para o bem ou para o mal. Ou, se assim for preciso, para algo que fica num estranho limiar que serve os dois lados. Sem culpa de ser assim, porque em si mesma é apenas uma história.
E faz chorar, Faz rir, faz doer, faz curar, faz o que for preciso para não ficar esquecida num qualquer canto da nossa memória.

Porque a nossa vida é feita de grandes histórias, por mais pequenas que sejam.

8 comentários:

  1. ... e nestes posts que escreves às vezes* devia estar em baixo palavras sábias de Mak, O Bom.



    *às vezes, muito de vez em quando :-)

    ResponderEliminar
  2. Alguém andou a postar com o teu login...cuidado com isso das passwords! :)

    ResponderEliminar
  3. Ah, caro José, não tens em devida conta a multiplicidade do meu imaginário.

    Porque é que achas que o blog se chama assim?

    ResponderEliminar
  4. às vezes dá-te para escrever assim com um tom mais sério...há muitos "Maks" dentro da tua cabecinha:-) Bj

    ResponderEliminar
  5. Se me voltam a chamar sério, eu levo a mal :p

    ResponderEliminar
  6. Tens que fazer uma daquelas histórias com palavras que os teus comentadores sugeriram.
    Mostraste grande imaginação e sentido de humor. :)
    Desta vez podes nos deixar a chorar...

    ResponderEliminar
  7. Acho que tens dupla personalidade, é o que é...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.