9.3.10

A doença da Macarena, do Saturday Night, do Ketchup e do raio que os parta

Antes da moda das flashmobs, dos happenings grandiosos de gente dançante, muito antes disso, havia já uma preocupação dentro de mim. Preocupava-me o facto de nunca ter havido uma coreografia de dança assumidamente má feita por "artistas" portugueses. Se somos rápidos a captar influências do pior que há, para quando alguma originalidade, nem que seja no pior sentido.

E não, Iran Costa aqui não entra.


Vejamos alguns exemplos que muito já me fizeram chorar, algumas vezes de riso, outras de desespero:











Só aqui têm um manancial de tormento para a humanidade, sem podermos ter um exemplo verdadeiramente português. E, se me disserem sinceramente que nunca na vida reproduziram alguma destas coreografias ou são muito pequenitos para estarem a ver blogs deste calibre ou então são como eu.


Mentirosos.

8 comentários:

  1. Já andaste a cantar e dançar isso tudo, nem que não seja nos teus sonhos (ou pesadelos). eheheh

    ResponderEliminar
  2. É óbvio que todos nós, pelo menos uma vez na vida, já reproduzimos pelo menos uma destas coreografias... infelizmente!

    ResponderEliminar
  3. OMG!! Do que te foste lembrar! Há tanto tempo que não ouvia isto, até estou emocionada tais são as recordações. Bem, mas a Saturday Night é a minha favorita.
    Obrigadinha, sim? ;)

    ResponderEliminar
  4. EHHHHHHHHH...EH EH..HIHIHIHIHIH...UHHHHHHHHHHHHHHHHH


    para quem não se tenha apercebido.. isto sou eu a morrer de tanto rir...se estiverem a ler estas palavras é porque ressuscitei..ou algo do género..

    :)

    ResponderEliminar
  5. Eu acho que as Doce tinham assim umas coreografias do género. E mais recentemente, os Excesso também davam uns passitos engraçados.

    ResponderEliminar
  6. estes são de outra era, mais precisamente anos 90 ou por aí perto.

    Se fosse mais atrás, arriscava-me a entrar na área do Disco, do Saturday Night Fever, etc....

    Seria demasiada agitação para o meu sistema nervoso...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.