24.3.10

Ao princípio era o Sundy


Tempos houve em que outros chocolates caminhavam sobre a face da Terra, para além do relambório que ainda hoje sobrevive. O Twix ainda era conhecido como Raider e, nalgumas mercearias de bairro, caso se fosse cliente assidual, ainda se arranjava um bem refundido Táxi.

O Toffee Crisp já era pronunciado Tofe Crispe pelo vendedor menos abonado em língua anglófona e por todo o português com mais de 45 anos e/ou bigode. O chocolate Regina era recorrente até nas padarias, não havendo a bichanice retro de ser vendido no Magnólia, inexistente por essa altura.

O conceito “barrita de cereais”, em que a palavra barrita tenta tirar toda a carga calórico-balofa que os cereais possam acarretar e dar-lhe uma dimensão fitness, não passava ainda de uma intenção na cabeça de alguém que queria enfardar doces de embarda e, ainda assim, passar por saudável.

Numa categoria à parte competia o Sundy. Misto de chocolate e cereais, mas sem o bullshit todo de cariz pseudo saudável, esta simpática barra fazia as minhas delícias em tempo de juventude. Mas isto de ser diferente tem o seu preço e ao passo que qualquer matarruano conseguia comprar o seu Mars, Snickers, Crunch ou até mesmo um Lion em qualquer papelaria/pastelaria perto da escola, eu tinha de fazer uma peregrinação até a uma mercearia específica.

Em determinado dia, a escolha de um Sundy ficou gravada para sempre na minha memória. Depois de uns bons 15 minutos a pé, chego à mercearia dos eleitos. Fechada. Olhando em volta, com o desejo por uma barra estaladiça envolta parcialmente em chocolate, resolvi tentar um pequeno café/tasca mesmo ali ao lado.

Erro nº1 – Não deixes que seja a gula a ditar as tuas escolhas.

Tendo entrado, o cenário não indicava que pudessem haver Sundys em lado nenhum. Ainda assim, arrisquei:

“Boa tarde, tem Sundy’s?”

Erro nº2 – Não fales como se tivesses uma certeza antecipada de que as pessoas sabem do que estás a falar.

“Tenho sim senhor. De quêjo e fiambre.”

O sotaque não deixava enganar. Estava a decorrer uma gaffe.
Sem saber o que responder, com um ataque de riso eminente, restou-me tapar a boca, tentar dizer “Deixe estar” e sair rapidamente, não sem antes ouvir “O miúdo deve ser mas é parvo”.

E assim, ainda que hoje seja muito mais complicado encontrar Sundy’s, não há pedido de sandes mista que ocasionalmente não me faça sorrir. Isso e gente a ajeitar as cuecas nos transportes.



(esta embalagem sacada não é a original, essa tinha raios dourados e castanhos)

23 comentários:

  1. Ainda estou a rir!:-) Pois pedir esse chocolate a alguém brasileiro é complicado:-) O chocolate que mais saudades me traz é o Taxi. Acho que deve ter sido responsável pelos bons quilos a mais que tinha na altura...
    Bj:-)

    ResponderEliminar
  2. O senhor não era brasileiro. Era até bastante português, com um sotaque regional profundo, ao contrário do seu conhecimento de chocolataria ;)

    ResponderEliminar
  3. Nunca ouvi falar nem meti (que saiba) um Sundy à boca. Já o Táxi lembro-me bem. E o marujinho? Sabia a sabão mas o pessoal comia na mesma.
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Ai o sr. era português?:-) Eu pensei que era brasileiro, porque estava a ler o texto em voz alta para uma colega e puxei logo o meu melhor sotaque do Brasil para ler o que o sr. tinha dito!:-) Acho que vou ter de ler novamente em voz alta para experimentar outros sotaques!:-) Realmente esse chocolate dá "pano para mangas"!

    ResponderEliminar
  5. Esse chocolate ainda se vende em terras de Monsieur Sarkozy e devo dizer-te que não traz brinde, nem a Carla Bruni.

    ResponderEliminar
  6. @ pipoca - marujinho?? Elucida-me, que eu em marujos não finquei o dente...

    @ Blondie - Sempre soube que tinha gostos refinados, mas também não desejava que o meu chocolate me desatasse a cantar baladas em francês assim que eu abrisse o pacote...

    ResponderEliminar
  7. Espreita, tá bem giro.

    http://www.ionline.pt/interior/index.php?p=news-print&idNota=13884


    O marujinho custava 20 escudos, tinha um papel tosco branco e azul com marujos pintados.Saudadinhas

    ResponderEliminar
  8. Só me lembro dos táxis pretos e verdes e ía jurar que nunca vi um Sundy! Marujinhos só em bandos a passear na Baixa... Eu era mais Sugus! ;-)

    ResponderEliminar
  9. Bom era o tofe crispe.

    já fiz uma dessas numa loja, mas com outra linha de produtos. http://perdidopelacidade.blogspot.com/2007/05/vndalos.html

    ResponderEliminar
  10. Oh pá! Que saudades dos taxis, marujinhos e tofe crispe! Dos Sundy's vou-as matando de vez em quando, que a França é mesmo aqui ao lado...

    ResponderEliminar
  11. Cambada de emigrantes privilegiados, a mamarem Sundy's e eu a ver navios.

    No entanto, em termos navais, apesar de já saber o que é um marujinho (e aquele artigo é de facto um mimo), não seria um tipo de pedido que me arriscasse a fazer...

    ResponderEliminar
  12. "Bichanice retro de ser vendido no Magnólia" é bom demais!

    ResponderEliminar
  13. Não seja por isso! Manda-me um email com a tua morada e mando-te um Sundy :-)

    ResponderEliminar
  14. Os "Regina com aroma de ananás", os "Taxi",os belos rebuçados "flocos de neve", os "noivos" (uns rebuçados embrulhados num belissimo plástico azul e branco), essa instituição chamada "bom-bokas", o belo do "sumol de ananás", a fantástica "lingua da sogra", as pastilhas "Gorila", não esquecendo o "Tulicreme"...enfim sabores de outros tempos!!!

    Lembro-me que tinha uma pancada (e ainda tenho) por um chocolate tipo waffer - chamava-se Bloco!!!
    Adorava isso!! Acho que era da Imperial. Aliás, a Imperial "inventou" outro grande chocolate: o "Jubileu"!

    E os "cigarros de chocolate" que fumava dando pequenas trincas!! E aqueles chocolates que eram uns "ratinhos"? Acho que eram da Regina ou da Imperial. Aliás os "Regina com amêndoas" voltaram em força e também já há na Magnolia.

    ResponderEliminar
  15. O Sundy tem de ser dito com sotaque francês, primeiras.
    Segundas, eu ainda sou do tempo embora não tenha comido porque a minha mãe tinha a mania que os chocolates dos cafés estavam todos estragados de um que era o Comacompão que era um chocolate que trazia pão :S carece informação.
    Terceiras então e as Pintarolas?

    ResponderEliminar
  16. (agora que parei de me rir, vou comentar)E os bombons Allegro?! Que vinham num canudo e tinham caramelo quase líquido por dentro?! Hum...

    ResponderEliminar
  17. Este era o meu chocolate preferido. A senhora do bar encomendava-o exclusivamente para mim. Mais ninguém comia. Mas eu nunca mais vi disto à venda. Diz-me onde existem que meto-me já no carro!

    ResponderEliminar
  18. Ola Mak,

    Antes de ler o teu post nunca na vida me tinha cruzado com um sundy. Ou se calhar cruzei, mas nem reparei nele.
    Este fim de semana, a caminho de S. sebastian, parei na área de serviço dos pirinéus e voila!
    Já estava eu a pagar o meu pacote de bolachas quando o vi. Já fui tarde, para a proxima compro um.

    escrevo só para te descansar... eles ainda andam ai.

    beijinhos

    cat

    ResponderEliminar
  19. Pois, já sei, em França e arredores ainda é delícia corrente.

    Parece que vou ter que me fazer à estrada :)

    ResponderEliminar
  20. Gostava tanto de comer só mais um marujinho...queria tanto poder saborea-lo com "outros olhos". Eu era pequenina quando o meu avosinho me comprava na lojinha do bairro marujinhos. Eu tenho tantas saudades do meu querido avo. Adorava comer um marujinho para voltar aquele tempo. Infelizmente já não os vejo desde a altura que o meu avó me deixou de dar :( se alguem souber....sou muito grata!

    ResponderEliminar
  21. Olá!
    O Sundy era o meu chocolate preferido. Era difícil de encontrar mas era maravilhoso.
    E ainda é. Acho que faria um grande sucesso se voltasse a ser vendido em PT e é possível.
    Há cerca de um mês, encomendei uma caixa de sundy a partir de um site francês que fornece máquinas de vending. Passados 5 dias chegou a minha casa uma caixa com 24 sundy. Continua a ser um chocolate brutal.
    Só para partilhar e para avisar que ao alcance de um click, há sundy para todos...

    ResponderEliminar
  22. Pois que já me tinham dito que via França era possível comer essa memória :) A ver se me disponho a tal feito.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.