4.2.10

Sem medo de ser parvo


Há uma diferença entre ser parvo sem o saber e sê-lo de forma assumida e descontraída. Se não há, passa a haver, até porque sou parte interessada. Aliás, não sendo o despotismo modalidade olímpica, permitam-me que elabore sobre a questão.

As pessoas que são parvas sem o saber, como essa condição indica, julgam-se bem longe do Olimpo da parvoíce. Podem pensar-se portadoras de fino humor, requintada inteligência, oportuna sagacidade ou sublime genialidade, quando na realidade são essencialmente parvas. E se o sorriso amarelo não os ajuda a perceber isso, é melhor não tentar a pergunta “Tu és um bocado parvo, não?”.

Por outro lado, já eu responderia a essa pergunta com um sorriso aberto e confirmação rápida e concisa.

Sim, sou parvo.

E basta isso para parecer logo menos estúpido. Aos parvos assumidos desculpa-se muita coisa, porque...são parvos. Tendo cuidado em não pisar a fronteira poderás fazer carreira na parvoíce, isto sem descambares em parvalhão, patarmar a partir do qual se acabam as regalias.
A parvoíce é um filtro a partir do qual até a realidade mais dura tem um ângulo mais suave. O parvo, quando domina o seu mister, é uma valiosa companhia, com a vantagem de que não precisa de ser passeado à rua. Curiosamente, os parvos que o são sem saberem, tendem a não gostar dos parvos assumidos. É natural, são parvos, mas de outra espécie.

Não me preocupa ser parvo, enquanto tiver sempre a noção de quando o estou a ser. Como por exemplo hoje de manhã no elevador a caminho do trabalho, ao ser interpelado por uma jovem empresária de sucesso:

“Vai subir?”
retive a porta
“Só na sua consideração, espero”.

11 comentários:

  1. Ahahahaha
    Fantástico!!!! 5*

    ResponderEliminar
  2. ahahah muito boa. 10 pontos.

    ResponderEliminar
  3. Olha, parvo! Muito bom o post, até porque tens razão quando dizes que os assumidos, parvos saudáveis, têm realmente muito mais graça e desculpa. Sim, sou parva e gosto!

    ResponderEliminar
  4. Eu também sou parva.
    É bom, não é?

    ResponderEliminar
  5. O meu "sonho de consumo" é ter ao lado um parvo assumido, para me rir até ao fim dos maus dias!

    ResponderEliminar
  6. És o meu parvo preferido! :-)

    ResponderEliminar
  7. Bem, conseguiste fazer com que muita gente viesse aqui assumir a sua parvoíce,e só isso é de louvar:-)
    E a jovem do elevador, deu-te o n º de telefone?:-)

    ResponderEliminar
  8. Eh lá! Dei-me conta da gaffe, não é "rir até ao fim dos maus dias"é dos MEUS dias!

    ResponderEliminar
  9. Quantos mais parvos melhor, não é verdade?

    E não, não precisava do número, a expressão já era priceless :)

    ResponderEliminar
  10. Aha aha ah

    Isso não é ser parvo, é ter lata e um par deles no sítio.

    Muito bom.

    ResponderEliminar
  11. É verdade:-) Aposto que foi um óptimo começo de dia, ouvir uma "parvoíce" dessas logo pela manhã é sempre bom!:-) bj

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.