23.2.10

O call center da sorte

Tocou o telefone. Esperei que fosse engano, mas esperei em vão, já que continuou a tocar. Fui ver quem era mas, por automatismos que a razão desconhece, dirigi-me à porta, algo que o telemóvel não apreciou, tocando ainda mais insistentemente.

Número não identificado.

Pensei um pouco. Ora eu só conheço um Número Simão Delgado, por isso não podia ser o mesmo. Ainda assim, atendi:

”Tou, Número, és tu?”

“Boa noite, tenho o prazer de estar a falar com o Sr. Mak Arena?” (bónus de piada fácil com nome falso)

Aquele início de conversa não enganava, ou era o Euromilhões ou era um call center. Tendo em conta que o Euromilhões para mim está sempre sem saldo, fui pela segunda.

“Sim, é o próprio. Mas deixe-me pô-lo já à vontade, não quero comprar nada, não vou assinar nada e mesmo que não demore nada, eu ainda demoro menos”.

Silêncio. Pausa institucional.

“Não se trata de nada disso Sr.Mak. Gostaria apenas de saber se vai renovar o seu pacote clássico de sorte ou se está interessado em fazer um upgrade?”

“Sorte? Mas isto é alguma brincadeira?”

“Claro que não Sr.Mak, até porque não somos nós que tratamos desse tipo de serviço. A nosso cargo está apenas a sorte. E, obviamente, o azar.”

“Portanto, devo depreender que tenho tido sorte, é isso?”. Depreender é sempre um bom verbo para entabular conversações com um toque de seriedade.

“É o que está nos nossos registos Sr.Mak. Pacote clássico de sorte.”

Pensei um pouco. De facto, nasci com os bracinhos e as perninhas todas, consigo conjugar verbos sem dificuldade e não pareço um arrendatário de Notre Dame. Combinando convívio com mitras de primeira e gente honrada, cresci com uma noção de valores e também a saber como me apropriar indevidamente deles.
Tirando sintonizar ocasionalmente a TVI, não tive de conviver com muita tragédia de perto e pratico regularmente desporto, incluindo modalidades não olímpicas. Profissionalmente, pessoalmente e outras coisas acabadas em mente, os níveis de satisfação flutuam acima do mar da incerteza.

“Sr. Mak”

“Espere um momento, estou em divagações internas”

Sim, podia ter muito mais. Aliás, a insatisfação é o meu motor, mas tenho a sorte de não ser tapado. Espera lá, pois, tenho sorte.

“Oiça lá, vai custar muito continuar a ter esse pack de sorte?”

“Não custa nada Sr. Mak, a não ser que queira ter um pack de Funtastic Lucky Life ou, para os mais ousados, um aZarON, que lhe sai mais em conta e ainda lhe permite passar a vida sintonizado no Canal de Queixas”.

“Deixe estar, não vale a pena. Mas tem a certeza que não custa nada renovar o pack de sorte?”

“Claro que não Sr. Mak, primeiro que tudo porque existir um call center que disponibilizasse sorte seria uma estupidez. Mais estúpido seria cobrar por isso.”

“Mas então, qual é a função do seu telefonema?” Odeio operadores de call center armados em filósofos.

“Basicamente, foi o senhor Mak que criou este call center.”

“Eu? Olhe, não tenho tempo para isto, ficamos....” Estava obviamente a despachá-lo.

“Sim, Sr. Mak e não esteja a despachar-me. Criou isto com o intuito de iludir os seus leitores e projectar-lhes uma pseudo reflexão na vida, levando-os a questionar o que é realmente a sorte ou, na melhor das hipóteses lerem mais uma das suas banhadas esc.....”

Desliguei. Felizmente tenho a sorte de ser uma pessoa objectiva, pouco dada a devaneios e não há pachorra para call centers assim.

9 comentários:

  1. Agora deixaste-me a pensar...e ainda só são 11h59m. Porra. Beijo

    ResponderEliminar
  2. Este está Makgenial! Que sorte ter vindo espreitar, já valeu umas gargalhadas :-)

    ResponderEliminar
  3. Estás cada vez mais doente mental...

    ResponderEliminar
  4. São 15h29...so consigo pensar quando sair do trabalho,lá pas 18h,volto a ligar sim :p

    Aproveito e deixo um convite: participe na Blogagem de Março do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com. O tema é: “Onde cresceu o meu Pai”. Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt (+ título e link do respectivo blog) até dia 8 de Março. Participe. Haverá boa convivência e possíveis prémios (veja mais no dia 28/02 no blog da Aldeia)!

    Jocas
    Lena

    ResponderEliminar
  5. Antes de mais, obrigada por representares 56% dos meus leitores.

    Em segundo lugar, tens, de facto razão: devia ser menos de extremos. Mas o meu blog é mesmo um bocado caricatural e agressivo, acho. Se calhar é o medo de cair no erro de escrever coisas como "hoje esteve um dia catita, e diverti-me à grande." Mas o contrário disto não faz mal, porque posso sempre exagerar um bocado, e o resultado de exagerar o que há de negativo tem, na minha opinião, mais piada. O número astronómico de leitores do meu blog pode, aliás, comprová-lo.

    Em relação ao teu post, não me importava de receber telefonemas de call-centers da sorte. Mas sou demasiado pessimista para isso. Por ora, só me calha a Vodafone na rifa, que, aparentemente, gosta de me ligar enquanto estou no estrangeiro.

    ResponderEliminar
  6. @ariadne O teu blog é a tua tela e nele pintas o que quiseres, no estilo que quiseres :) É teu e pronto.

    ResponderEliminar
  7. Mente de génio ou de louco? hummmm...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.