26.1.10

Cromos auto-pedantes

Gosto de interagir com gente pedante. Especialmente de lhes dar com um malho nas rótulas só para os ver a rastejar, isto falando obviamente em sentido figurado, que eu sou pela paz (ou pelas pás, se for para lhes dar com elas nas trombas).

O que é realmente triste, em boa parte das pessoas pedantes, é que não se vislumbra o porquê dessa atitude. Se fossem génios, aristocratas de oito gerações ou, vá lá, eu, até se percebia. Mas, na sua generalidade, são pessoas mesquinhas que usam o pedantismo como uma capa de superioridade para ocultar as suas próprias falhas.

Depois, caem no ridículo perante pessoas que ligam zero a esse tipo de atitude ou que as desarmam e expõem o que realmente são. De que serve a um casal de cromos massacrar a cabeça a um empregado de mesa, porque têm de esperar por uma entrada, quando só estão à espera porque foram pela opção buffet livre (mais barata), em vez da opção carta. Quanto mais alto falam, mais ridículos se tornam, porque quem ouve pensa: “Se tens um padrão de exigência assim tão elevado, porque raio não optaste pela carta ou não te calas e esperas só uns segundos até reporem”.

Isto é só um exemplo, outro seria o de, no espaço profissional que frequento, a minha empresa (onde impera uma certa informalidade) coabitar com a de uma consultora (formalidade rules). Formalidade, gravata, tailleur, sapatinho pipi-fashion, pasta com portátil, i-Phone, ar de nhonhó e falar das férias na neve não são sinais de superioridade, mas sim de ostentação. Não me impressionam em viagens de elevador, não me fazem sentir pequeno no mesmo café e não me causam suores frios (para isso basta-me o ar condicionado).

Por isso, vão lá ser auto-pedantes para a vossa caderneta, que eu para esse pedantório não contribuo.

8 comentários:

  1. Vejo que andas bem acompanhado, quer no local de trabalho, quer nos momentos de lazer.

    Cada um tem o que merece! :)

    ResponderEliminar
  2. José Menezes, José Menezes, só os mais de 300kms que nos separam me fazem dizer, que podia ter mais azar se o encontrasse ao almoço ou no elevador :p

    ResponderEliminar
  3. Pontuação feita à tua medida!

    http://www.telegraph.co.uk/technology/news/6995354/Sarcasm-punctuation-mark-aims-to-put-an-end-to-email-confusion.html

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto de ouvir essa malta, diverte-me.

    ResponderEliminar
  5. Há tanto tempo que não usava a palavra "pedante", mas conheço uns quantos que adoram encarnar o adjectivo! Não tenho paciência para essas gente e não consigo disfarçar... Bj:-)

    ResponderEliminar
  6. Antes pedante que pedinte? ;-)

    ResponderEliminar
  7. Ou peidante... Mas se calhar ainda era pior no elevador!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.