31.12.09

O Fim do Ano é quando eu quiser

Infelizmente, se aqui vieram parar acreditando naquilo que leram no título, lamento informar-vos: Não é verdade.

Mas, se isso ajudar, devia ser.

Depois de tanto tempo a ouvir a chalaça "O Natal é quando o Homem quiser (bónus popularucho: e a mulher deixar)", cheguei à conclusão que, a fazer fé nisto, o mesmo se devia passar com a história do fim de ano.

Cada um de nós deveria poder decidir quando quer terminar o seu ano e mais nada. Se aqui há alguns séculos alguém decidiu que iríamos passar a seguir o calendário do Gregório e não o do Juliano, porque raio não posso ser eu a decidir quando me dá mais jeito orientar a coisa?

Há anos, por exemplo, que lá para Março já estão a correr tão mal que mais valia acabar logo ali. "Epá, sim senhor, tenho um azar levado da breca, mas vou aproveitar que se mete a Primavera e começo já um Ano Novo, que pode ser que com o calor isto mude".
Já outros, correm tão bem que é uma pena acabar só porque já estamos no fim de Dezembro. "Ó Manel, avisa lá os miúdos que este ano só acabamos o Ano no dia dos Namorados, que o salão de manicure tem estado a render e não vale a pena estar a fechar para balanço agora".
Para aquela malta que tem a tendência para andar sempre em festa ou tem um carinho especial pela passagem de ano, enquanto ponto alto do ano e momento ideal para prometer coisas que dois meses depois já não se lembra eis a solução: Muda de ano no fim de todos os meses. Assim, não só garante uma cowboyada das antigas mensalmente, como ainda fica mais fácil lembrar-se que é este ano que vai deixar de roer as unhas dos pés.

Para os mais conservadores e pouco amigos de festas - Mudar de ano só a cada 10 anos. Menos festa, menos confusão, menos trapalhada e a beleza de ver gente com 8 anos, já a gozar da reforma, ainda com o encanto nos olhos ao ouvir falar do Pai Natal.

Não me esqueci dos românticos, gente levada da breca e que tende a ficar deslumbrada com momentos únicos que podem surgir quando menos se espera, mas têm outro calor, por exemplo, no final do Ano - A possibilidade de haver um kit passagem de ano, que podem levar a qualquer altura, quando vão com a sua cara metade a qualquer. Imagine-se o doce que é, numa só semana com o seu amor, passar o ano no cinema, na praia, comendo um gelado no parque ou até numa colónia de nudista. "Ai querido, esta semana que passámos juntos, pareceu que foram anos em sintonia".

Mas, até isto ser verdade, parece que é este o dia convencionado para fazer balanços. Pelo menos para vocês, porque da minha parte só a 13 de Julho é que muda o ano.

Chamem-me pós moderno, mas para comemorar esta decisão hoje vou a um jantar de gala e já volto.

3 comentários:

  1. Eu gostava muito de mudar o fim do ano lectivo... Avaliava já os alunos, que eu tenho um dedo que adivinha, e preparava-me para 3 meses de férias.

    ResponderEliminar
  2. Fim de ano?
    Para evitar conflito até me ofereço para ser a última a sair do trabalho, vão lá gastar dinheiro ( para andarem 3 meses a chora-lo), bebam o copo da praxe e tal porque eu bebo quando quiser ! Isto de festa com data e hora marcada não é o meu género !
    Desde alguns anos que deixei de ser arrastada p/ os sitios mais incríveis, com pessoas que não me interessa conviver !
    Ah a bebida não dispenso :) brindo sempre a qualquer coisa!

    ResponderEliminar
  3. Mak anda muito desnaturado nem nos manda à fava! Aliás Passa!
    y

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.