16.12.09

Linkações Perigosas

No tempo em que os computadores eram do tamanho de casas, quando se falava de ligações o cenário podia ser algo assim: o X dava-se com gente duvidosa e a Y estava ligada a uma escandaleira, desde que foi apanhada com o Z e o W ao mesmo tempo, vejam lá.
Apesar do tamanho dos computadores ter vindo a mirrar, dizem que no mundo real as coisas ainda funcionam de certa maneira assim: tu também és definido até certo ponto pelas pessoas com quem te dás. Mas, aqui que ninguém nos ouve, nos blogs as coisas às vezes também são um bocadinho assim.

Queres ser intelectual ou fazer parecer que até tens uma posição em relação a temas importantes. Então há dez blogs que não deves deixar de linkar. O qué, és uma pessoa sem tabus e para ti, como dizia a outra, “falar de sexo é como comer um iogurte”? Então há blogs que devem constar na tua lista free-spirit.
Talvez isto não seja a tua onda, já que és uma alma atormentada e nos teus links só há ligações profundas e reflexões poéticas sobre a vida e os seus desencantos. Tudo bem, para te contrabalançar haverá outros tantos que só serão divertidos se linkarem os blogs dos melhores comediantes ou só mostrarão o seu girl power se linkarem os blogs das gajas com mais atitude da blogosfera.

Por mim, tudo bem, cada um faz como entende, mas até agora mantenho para blogs a mesma lógica que tenho para livros – são mais importantes os que já leste do que aqueles que tens na prateleira. Até que descobri que há efectivamente gente a linkar para este antro. E isto não dá credibilidade a ninguém.

É lastimável que se divulgue este pasquim e se arraste ainda mais gente para a desgraça. Não posso fazer quase nada em relação a isso, tirando continuar a escrever imbecilidades e tentar que alguém veja a luz e decida pôr um paninho negro sobre este espaço. Mas, disfarçando-me de Padrasto Natal, posso urdir uma teia, fazer-vos o mesmo e ponderar linkar para o vosso blog, caso ainda não o faça. Só para ver se aprendem.

Por isso, se és jovem e gostas de arriscar, diz-me em 20 palavras ou menos, qualquer coisa como “Epá, meu estafermo, achas que para além de tudo o que de mau já me acontece seria possível linkares-me?”

Com sorte, eu respondo “Não”.

11 comentários:

  1. Por acaso, há já muito tempo, até calhou fazer-te essa coisa lá no sítio onde escrevo. Acho que disse que tinha um fraquinho por rapazes maus e sendo tu o único Mau que lia (e continuo a ler)... Foi assim uma espécie de declaração de "amor" virtual (e aqui abro um parêntesis para fazer um sorrisinho melévolo). Sera que também tenho um fraquinho por estafermos?

    ResponderEliminar
  2. Outra coisa: não ganhei o raio da malinha da PeanutOak. E a minha frase era, sem sombra de dúvida, a mais gira. Por isso, esquece. Não vou poder emprestar-te, como tinha prometido.

    ResponderEliminar
  3. Nunca tinha pensado no que os links dos blogs podiam mostrar de quem o escreve..Mas deve ser por isso que o leio no Reader :P (niguém vê...)

    ResponderEliminar
  4. Pela lógica dos links devo ser esquizofrénico...

    Epá, não me linkes, que eu não estou cá pelo mediatismo. É só pelo equilibrio mesmo.

    ResponderEliminar
  5. @ Tip Toes - Ao contrário da velocidade perto das escolas, a minha maldade não tem limites. Daí aliciar os leitores a participar em passatempos com prémios aliciantes, só para depois os ver a não ganhar nada (apesar de ficar com pena de não a poder usar)...

    E ainda por cima, linkando-os de seguida...


    @ Fuschia - O termo redes sociais implica, como é óbvio, alguém a ser apanhado. E vai daí...

    @ Tempo - Calculei que fosse algo assim. Como eu estou cá pelo desequilíbrio, a coisa entende-se...

    ResponderEliminar
  6. Eu como gosto assim de umas cenas estranhas,e com um sentido de humor algo alternativo e acima de tudo gosto de te ler.
    Por isso "linko-te" e não podes fazer nada contra isso!! :p

    ResponderEliminar
  7. Só falo de fraquezas (das que não reza a História). Se te dissesse as razões porque coloquei o atalho, teria de te elogiar, e o orgulho tolhe-nos as ideias e sujeita-nos a responsabilidades (cá está... O lado da fraqueza...). Não vou contribuir para a tua desgraça, porque isso me prejudica.

    Sei que tenho lá trigo misturado com joio, mas a vida é feita de miscelâneas.

    Fico a pensar que um link acaba por te colocar também, enquanto autor e publicamente, numa franja de leitores cuja média também te categoriza, mas que dificilmente poderás controlar.

    Só nos lixamos quando damos importância a isso, que quem escreve por gosto está-se borrifando para essas tretas. Digo eu... Por isso não te pergunto a opinião de te poderes ali ver retratado com coisas que abomines, porque tenho medo da resposta.

    ResponderEliminar
  8. De facto tens piada, mas linkar-te? Nã eu não facilito o trabalho a nínguem nem sugiro qualquer tipo de leituras ... além disso gosto pouco que saibam que ando a fazer , muito menos a ler... :) mas eu sou uma gaja bera!

    ResponderEliminar
  9. Eu linkei-te e não te deslinko ;-)

    ResponderEliminar
  10. Então, obrigada na mesma!

    (estás linkado, temos pena)

    ResponderEliminar
  11. Olha, eu caí na rede...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.