23.12.09

Natal no Circo Romano


A vantagem de só ter um amigo é que se despacha rapidamente o martírio das compras de Natal. Como esse amigo sou eu, melhor ainda, porque que sei que sou preguiçoso de mais para ir trocá-la no caso de ter escolhido mal para mim próprio.

Depois deste momento esquizofrénico, passemos ao espectáculo mais lastimável desta época.

Não vou aqui bater no Natal dos Hospitais, no das Prisões, no das Minas da Panasqueira, nem sequer no da Casa de Meninas “Triângulo das Mamudas”. Esqueçam o Cardinali e afins, as iniciativas das pessoas que só são boas dez dias por ano e isso tudo.
Querem emoções fortes? Querem cheiro a sangue e instintos primários? Querem sentir o fragor da luta mesmo ali ao lado?
Então façam como eu e vão ao Toys R Us sem intenções de comprar nada, só pela diversão.

Aí se revive, na época de Natal, a melhor tradição do circo romano. Pais degladiando-se por caixas de brinquedos, bonecos com pingos de sangue devido a refregas intensas, desconsolo e gritaria por causa de jogos de consolas, o choro de adultos, confortados por crianças que lhes relembram que vergonha é roubar, não é ter que recorrer ao plafond de crédito para chegarem aos 20kgs de prendas.

O melhor que podem fazer não é julgar, até porque não serve de nada e a maior parte das pessoas não fica bem de toga. Se querem ter mesmo um impacto na vida daqueles que procuram a felicidade no volume de embrulhos, saiam pela saída sem compras, enquanto pares de olhos esbugalhados, de braços carregados e paciência sobrecarregada, vos seguem com raiva, presos em filas para a caixa e para os embrulhos e para o espírito de Natal.

E, minha gente, se isto não vos divertir, então alguém anda a passar demasiado tempo a comprar prendas para saber apreciar as coisas boas da vida...

1 comentário:

  1. Acho que vou desejar-te aquilo. :)

    E até tenho um presente para ti:
    http://img2.allposters.com/images/TSHIRTS/SNB665.jpg

    Pedi o XL. Espero que esteja bem.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.