17.11.09

O amor e uma bacana

Ou “A Novela Trágico-Cómica do quotidiano”

Estava nervoso. Afinal de contas não tinha tido tempo para nada do que queria, o trabalho apertava e almoço, pizza encomendada e comida à pressa ao computador, também não tinha ajudado.

Mas, existiam coisas que tinham que ser ditas e não podiam ficar para mais tarde, para mais logo ou para sabe-se lá quando. Inspirou fundo, quando precisava era de profunda inspiração, percorreu rapidamente a lista do telemóvel, fechou os olhos e ligou.

Ela atendeu. Ele falou.

- Não digas nada, deixa-me falar. Sei que sou cauteloso, que tenho sempre tudo planeado, mas desta vez falo com o coração e não com a cabeça. Quero deixar tudo para trás, quero estar contigo, não me interessa onde, desde que seja para sempre.
- M...

- Por favor, não digas nada, deixa-me acabar. Sei que nem sempre tenho sido para ti o que és para mim, mas esse tempo acabou. Percebi finalmente que para fazer as coisas certas, mais importante do que pensá-las, é fazê-las. Que me dizes, eu e tu, tu e eu, sem histórias, nem tretas, tipo só nós, o amor e uma cabana?

- Olhe, eu ia perguntar-lhe se queria a promoção dos pães de alho e a Coca Cola de litro e meio, mas posso despedir-me já hoje e sair às seis para ir ter consigo. O meu nome é Claudia e...

Desligou, em choque.

Olhou para o telemóvel. Quis o destino que Telma e Telepizza estivessem lado a lado no ecrã. Sentiu o coração cortado às fatias.

11 comentários:

  1. telma??
    se fosse uma teresa ainda compreendia, agora telma?

    ResponderEliminar
  2. Até eu ainda estou em choque!
    Gostei.

    AP

    ResponderEliminar
  3. Vamos dar liberdade criativa ao autor hein - É mais perto Telma que Teresa pá. :p

    ResponderEliminar
  4. Quem ficou com o coração cortado às fatias foi a pobre da Telma...tadinha.

    ResponderEliminar
  5. Eh hombre!

    Nova ligação e desta vez para o destino certo (seja ela Telma, Teresa, Tânia, Tatiana, Taís, Teodora e por aí fora.

    ResponderEliminar
  6. Ha Ha Ha

    Vá lá, vá lá. Não ser o Telmo, foi uma sorte.

    ResponderEliminar
  7. Muito bom texto... Adorei! Parabéns!!!

    ResponderEliminar
  8. Desde esse dia, a Cláudia passou a fazer dois turnos seguidos, ansiosa, e com esperança de que não voltes a perder a rede :-D

    ResponderEliminar
  9. Como um macaco gosta de bacanas eu gosto de ti...:)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.