16.11.09

Desculpe, é engano?

Há coisas que eu tolero bem. Chuva, mariscos diversos e malta que gosta de usar provérbios para justificar argumentos são exemplos disso. Mas, porque quem não se sente não é filho de boa gente, há também toda uma panóplia de coisas que eu não tolero, nem sequer com o recurso a pastilhas Rennie.

Não vou evoluir muito neste assunto, primeiro porque se começo a pôr coisas que evoluem neste blog estou a descaracterizá-lo e em segundo porque não quero descobrir se há limite de caracteres para um post no Blogger.

Mas, se há coisas que me irrita sobremaneira é o chamado “engano idiota” ou a meia verdade do quotidiano. Só um instante que vou ver se a semana começa efectivamente com azia à porta.









Parece que não, era um stripper vestido de escuteiro para a senhora do lado.


Foi engano.



Calha bem, porque este tipo de enganos eu tolero. São coisas que acontecem. Também tolero enganos daqueles a sério, tipo o contabilista que desvia 2 milhões da empresa ou aquela malta que se engana, se enfrasca e acaba toda nua na festa de Natal da empresa. Isso são enganos comuns e decorrentes da necessidade humana de nos enganarmos de vez em quando.

Agora, irrita-me aquele engano idiota que não engana ninguém, aquele pormenor chico esperto para encher o olho, mas só se for de socos, no meu modesto entender. Não faltam exemplos, mas deixo-vos apenas dois:

Vôos TAP para X ou Y a partir de 59€ - A TAP gosta muito de fazer isto, na sua luta para tentar ombrear com as low costs. Mas este preço, ainda que atractivo refere-se normalmente apenas ao vôo de ida e não me parece que haja assim muita gente a adoptar a política “Vá e não volte”. Muitas vezes o preço total até pode ser atractivo, muito mais do que o trabalho de ir marcar vôos em companhias diferentes (que muitas vezes é também mais caro), mas alguém achou que o preço baixo só por isso ia toldar os olhos às pessoas. Até porque eu, quando compro viagens olho apenas para uma parcela do valor a pagar e já nem ligo ao resto. “Porreiro, o vôo de ida custou-me 30€. Tudo bem que o regresso me custou 300€, mas o de ida foi imbatível”. Yeah right....

Outro exemplo de “engano” dá-se no ramo imobiliário. Quem vende casas, pensa provavelmente que a malta compra uma habitação como quem compra um Cornetto. “Ah, não tem de morango? Pode ser de chocolate. Ou Nata. Ou então um Epá, que é quase o mesmo, mas sem bolacha”. Em resmas de anúncios imobiliários não faltam meias-verdades, um quarto de verdades e até oitavos de verdades. E depois? Vai-se ver a casa e alguém se esqueceu de dizer que o 6º andar era sem elevador? Que aquele T5 a bom preço era na cave de uma estação ferroviária? Que aquele preço incluía uma famiíia de romenos que subaluga a banheira? Não vai funcionar meus caros e não me vai fazer apaixonar pelo outro T3 na Brandoa que também têm para me mostrar na ImoTangas.

Se é para enganar, enganem onde vale a pena e onde não há forma de serem descobertos. Se é para brincar aos enganos, então usem as listas telefónicas. Para mim resultou e se não fez de mim uma pessoa melhor, pelo menos estimulou o meu interesse em imitar vozes.

5 comentários:

  1. o voo da TAP a 59 euros não é para Itália, por acaso?
    também não tenho pachorra para aldrabice mal feita.

    ResponderEliminar
  2. Sim, neste momento há uma campanha para Itália nesses moldes. Não é aldrabice, é meia verdade, o que significa que é duas vezes mais irritante. Pelo menos no meu dicionário.

    ResponderEliminar
  3. Esgotados os argumentos válidos, os gajos do marketing recorrem a tudo. Coitados.

    ResponderEliminar
  4. sem dúvida, se há coisa que me irrita são meias coisas. odeio a expressão "para bom entendedor..."

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.