20.10.09

Portugal vs Bósnia e o flagelo de Sarajevo

O ano era 1992. Na Bósnia viviam-se tempos difíceis, com os conflitos étnicos entre repúblicas da ex-Jugoslávia. A coisa não melhorou, quando António Manuel Ribeiro dos UHF começou a cantar o seu tema “Sarajevo”. Felizmente, a RTP Internacional ainda não chegava a terras bósnias.
Em Portugal, também se viviam tempos difíceis, especialmente na televisão, onde a Luís Represas lhe era permitido andar à solta com um programa televisivo.

O pior de três mundos junta-se, quando no programa de Luís Represas aparece António Manuel Ribeiro e insiste em cantar Sarajevo. Toda a Bósnia chora, sem saber porquê. Já a audiência do programa também chora, mas aí percebe bem porquê.

António Manuel Ribeiro é um misto de rocker e tipo que vai à missa ao domingo. Às calças de cabedal de rocker estilo Bono colecção de 92, junta uma camisa clássica, porque se é para ir à televisão também não se pode ir numa bandalheira.

Há uma clara falta de ritmo na sua expressão corporal. Não é grave, quase ninguém nota. O seu cabelo, depois de anos sem rumo, concentra todas as atenções.

Os três minutos arrastam-se, “Jugoslávia bonita” canta ele. “Bela trampa” pensarão outros.

Dezassete anos depois, a Bósnia tem oportunidade de se vingar. Num campo de futebol. Sem António Manuel Ribeiro ao intervalo, espera-se.

Se eles vêm com ganas tipo vingança tuga contra Maitê, vai haver molho. E ao contrário da Jugoslávia cantada pelo leather pants dos UHF, não vai ser bonito.

4 comentários:

  1. muito, muito bem apanhado.

    ResponderEliminar
  2. E pq a verificação de palavras, é a pergunta que eu lanço aqui...:) E ainda bem que a Maitê não deu conta destas imagens, senão aí é que ia ser o bom e o bonito...

    ResponderEliminar
  3. AMC: por causa da praga do spam asiático...

    O Luis, esse ícone dos betos, que lançou aquele look intemporal.

    Mak muito bom... Vê-se que eras seguidor do Project Runway. Essa análise à indumentária do Manuel Ribeiro não engana.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.