22.9.09

A semana da imobilidade

Naquilo a que se convencionou chamar o mundo real, chega hoje ao fim a semana da mobilidade, com um evento denominado “Dia Europeu sem Carros”. Tempos houve, em que eu pensei que este dia era a sério, tempos esses em que fui atropelado por dois táxis, uma carrinha de distribuição e um tipo que ia a conduzir enquanto escrevia mensagens no Blackberry, lia um gratuito e fazia uma Raspadinha. Depois, os tempos de reflexão no hospital levaram-me a pensar que talvez não fosse boa ideia acreditar em tudo o que dizem as notícias. Afinal de contas, dois becos e uma travessa fechados ao trânsito e muito mediatismo não é propriamente uma efeméride a sério.

Mas, houve de facto toda uma semana de mobilidade. Eu celebrei imobilizando o blog, porque não gosto de carneiradas e é preciso equilibrar a balança, mas indo à janela, vejo pessoas a mobilizarem-se por tudo quanto é sítio. É o que dá haver tanto desemprego, estivessem sentadinhas a trabalhar, como deviam, e não andavam para aí a mobilizar-se, só para dizer que são muito activas e militantes.

Da minha parte, confesso que a semana passada só aderi em pleno no dia em que os transportes públicos decidiram adoptar o conceito favorito dos portugueses e foram: "À borla". O que me fez sentir estúpido, porque tenho passe e, como tal, tive de pôr um sorriso falso, pois o que todos estavam ali a aproveitar à grande, já eu tinha pago. É uma vergonha esta Carris e o Metro, sempre a prejudicarem os seus clientes.
Estes dias de transportes à borla são, no entanto, chatos para os mitras, tanto do Metro, como da Carris. Isto é gente que se esforça, que dá o litro para sacar borlas e de repente é assim, ninguém paga? Onde é que está a moral? Um tipo quer roçar-se na pessoa da frente para passar nos torniquetes do Metro e está tudo aberto?? Quer mostrar um bocado de cartão como se fosse o passe e fazer “Piiii” ao mesmo tempo e não é preciso?? Assim, não pode ser, depois qualquer um quer ser um mitra.

Adiante minha gente, que hoje os transportes são outra vez à borla e eu tenho que ir ali mobilizar-me para a entrada do Metro dizer “Ah, hoje que é a borla queres andar nisto não é. No resto do mês, eu que pague...Bandalhos!”

4 comentários:

  1. Devias ir para ministro dos transportes! ;)

    ResponderEliminar
  2. Os da Fertagus não foram na conversa... O que vale é que não sou eu a pagar. Senão aspirava sériamente a mitra.

    ResponderEliminar
  3. O mais caricato é que com esta de ruas e travessas cortadas, o transito adensa-se em outros locais, o que faz com que haja mais tempo de espera, mais pára e arranca, mais gases poluentes para a atmosfera do que o normal (sim porque a percentagem de pessoas que opta em não usar o carro não é assim tão significativa)...mas isto não é um contra senso?

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.