14.7.09

Silly season à séria, precisa-se.

Podem não acreditar, mas o Verão já ai anda há quase um mês. Se isso é tudo muito bonito, as férias, o CampingGaz, o choro de alegria e tristeza com os figurinos que surgem com o Verão e até a malta que se recusa a parar de bronzear, mesmo depois de fazer parecer pálidos alguns cadáveres carbonizados, mas ainda assim falta-me algo.

O Ronaldo bem tenta, a Manuela Moura Guedes bem assusta, mas entre Gripes A, Tamiflus (com este nome, só devia haver em supositório), bancos e mais mancos, bi-eleições (eleições que dão para os dois lados, mas em que quem se fornica é sempre o mesmo) e outras preocupações, sinto falta das reportagens sobre a porca que amamenta um contabilista anão ou do pai de família que construiu uma réplica do Titanic com dentes que caíram dos seus 8 filhos.

É que nem os incêndios têm estado a ter o destaque de Verão de outros anos e a chamada reportagem-chouriço, mesmo junto à brasa, tem tido muito menos saída. Muitos de vocês podem até estar aliviados com isso, mas para mim estes são os meses em que as notícias mais valem a pena.

É que, no final de contas, para palhaçada já me basta a realidade do resto do ano.

Jigsaw falling into place, Radiohead

2 comentários:

  1. Epá! Já tens o Festival Floridjaló!

    :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. De facto, anda tudo estranhamente demasiado sério... Precisamos de umas manobras de diversão... isto está a ficar aborrecido!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.