1.6.09

Viagens a New York – o que não te dizem nos guias

Então, essas férias? Não é preciso responderem, isto é o que se chama um cumprimento retórico, apesar de ser uma pergunta que tenho ouvido com frequência nos últimos dias. Essa e “Quando é que pagas a guita que me deves?”.

Pormenores à parte, podia vir agora todo ufano falar-vos do requinte que é ir a NY, de tudo o que se pode por lá fazer e não é (muito) ofensivo relatar e ou de como dei uma cabeçada numa gaja do Sexo e a Cidade. Mas, sabendo eu que uma paragem no blog de 3 semanas deve ter deixado este espaço estilo escritório em que foi dada tolerância de ponto, não vou continuar a escrever para mim próprio. Para isso já me bastam os postais de Natal.



No entanto, irei deixando aqui um pequeno guia de curiosidades, caso algum incauto venha cá parar através da pesquisa do Google, por outras palavras que não “Miúdas desinibidas, canalizador, pickles ou moonwalking”.

1º - No avião – Nos vôos de longo curso, os monitores individuais permitem que cada um escolha o filme/série/etc que quer ver. O que é óptimo, mas aumenta o efeito típico dos transportes, em que o vizinho cobiça sempre mais o que estamos a ver do que ele próprio escolheu. Ah e no quadro de visualização do mapa de viagem na altura de partir, para além de Lisboa consta também a Amadora, destino muito popular para o viajante mais exótico.

2º - Comissários/Assistente de bordo – as companhias estrangeiras mimam os passageiros portugueses com humor de cabine, já que entre vôos Lisboa-NY têm sempre um luso-descendente açoreano ou um brasileiro radicado nos EUA ao serviço. Não imaginam a piada que isso confere ao ouvir traduzidas para português umas monótonas indicações de segurança, avisos de turbulência ou respostas pedidos feitos por passageiros armados em espertos, vulgo eu.

3º Entrar nos USA – Para além de parecer que se está na secção de maquilhagem do Corte Inglês, dê cá uma mãozinha, depois a outra, mostre esses olhinhos, sim senhor está aí um turista todo janota, os aeroportos americanos têm a vantagem que parece que estamos logo em Times Square, tal é a montanha de gente de todos os lados. Os japoneses eram os mais fáceis de distinguir, não pelos olhos em bico, mas sim pelas máscaras anti-gripe ex-suína, tipo A apanhe ali o acesso H1N1. O tipo que me admitiu, um tal de Watkin, fê-lo com uma afectuosidade que o meu ar moreno ligeiramente árabe nos dias de Verão deve ter despertado. Sorte que o carimbo foi no passaporte e não no peito, senão lá se iam umas costelas.

Vão-se entretendo a contar prédios, que eu já volto.



Fun Lovin' Criminals - King of New York

12 comentários:

  1. Nem uma palavrinha sobre o famoso questionário verdinho que nos entregam no avião e ao qual convém responder com um No a todas as perguntas.

    A minha preferida, confesso, é aquela em que perguntam se, durante a 2ª Guerra Mundial cometemos algum acto contra as Forças Aliadas... Qqr coisa deste género...

    É caso para perguntar: Olhe lá, onde é que vocês estava na 2ª Guerra Mundial?

    Queremos ouvir mais aventuras, ok?

    ResponderEliminar
  2. Olha, eu na alfândega do JFK fui recebida por um bigodaças mt simpático com ascendência italiana que quando viu o passaporte tuga começou a debitar palavras do género: benfica, alvalade e albufeira girls!!!

    ResponderEliminar
  3. Esse papel já tinha perdido a piada pq eu tinha preenchido um formulário online exactamente igual q, vistas as coisas, n serve para nada.

    Histórias não faltam, isto vai parecer uma colecção do Círculo de Leitores ;)

    ResponderEliminar
  4. Gostei em especial da do carimbo! Então e os pormenores da cabeçada na "gaja do Sexo e a Cidade"? Bom.. são boas keywords anyway. :)
    Boa música.

    ResponderEliminar
  5. Isso é tudo muito bonito e tal, mas vamos ao que interessa: e presentinhos para os fieis leitores/comentadores? É que pelo menos um iman não era mal pensado...:)

    ResponderEliminar
  6. Eu podia escrever aqui como me “irritam” as pessoas que vão fazer férias para o estrangeiro e depois deixam um post no blog que, embora parecendo que estão a partilhar com os fiéis leitores a aventura, estão, na verdade, a tentar dizer: “vão-se lixar. Eu fui de férias. De férias. Para o estrangeiro. Não foi para Chelas... Naaaaa… Pó estrangeiro! E tu não! Eu fui para N-O-V-A-I-O-R-Q-U-E e tu nunca na tua vida lá vais se for preciso.”

    Mas não. Não o vou fazer. Só vou perguntar: na primeira foto, aquilo é um RATO???? É que parece-me que é um rato e então vou dizer uma coisa que nunca pensei em dizer: que coisa tão adorável. O rato nova-iorquino tem muito mais classe que o rato português, que é bem mais javardão. Tivesse eu ido a Nova Iorque e tinha trazido o rato comigo.
    é que eu acho que aquilo é mesmo um rato.

    ResponderEliminar
  7. @ princesa - A senhora do sexo e a cidade pensou que entrava no autocarro primeiro q eu. Tudo bem q ela estava pintada na porta, mas eu não me fico...

    @ AMC Trouxe mtas recordações para os meus leitores. E trouxe-as dentro da cabeça para não se estragarem.

    @ Galega - Aqui não há 2as intenções, é mesmo para meter nojo, ao mais alto grau, logo a abrir. Qt ao rato, é um modelo com estola, aquilo a que eles convencionaram chamar um esquilo creio eu.

    ResponderEliminar
  8. Agora é a minha vez de meter nojo!

    Eu tive direito a prenda. :D
    Mas foi porque ameacei o bom do Mau de morte e eu sei que elevador é ele apanha para pegar ao serviço.

    Hell yeah!
    Obrigada :)

    ResponderEliminar
  9. Realmente, se os ratos usam estolas em NY, aquilo tem de ser um sitio com muito nivel...

    Galega, se quiseres um coelho, que é tipo um rato mas maior, mais fofinho e tem um pompom no rabo, eu tenho um que nos seus dias mais complicados até rifava! Aceitam-se ofertas acima de 25 euros. Encontrei-o bem no meio de benfica... Não sei se isto traz algum glamour extra a Lisboa em relação a NY, mas pronto.

    Mak, és um bandido realmente... Férias nesta altura é mesmo para fazer o resto das pessoas espumar da boca.

    ResponderEliminar
  10. tempus_fugit:
    para mim aquilo continua a ser um rato.
    Para comprar o dito "coelho, que é tipo rato mas em maior" só se ele tivesse vindo de NY. e uma vez que o encontraste no meio de benfica... e depois nao sei se ele se adaptaria à vidinha no Porto.


    Mak:
    uns têm direito a prenda e outros nao?!? não há direito!!!

    ResponderEliminar
  11. Bem vindo Mak. Apesar de toda a reclamação espero que as férias tenham sido boas ;)

    Como qualquer tuga Mak RECLAMA E RECLAMA E RECLAMA lol
    M.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.