25.3.09

Vácuo Vadis



Há algum tempo atrás apresentaram-me a técnica do vácuo aplicada à vida doméstica. Embalagens a vácuo, alimentos preservados a 100% (e por muito mais tempo) a vácuo e por aí em diante. Confesso que ao princípio me mostrei renitente, até porque tinha saído do Tupperwéricos Anónimos há muito pouco tempo e não estava ainda com força para outra.

Mas quando me mostraram o que um aspirador também podia fazer em termos de vácuo (e desenganem-se aqueles que já têm um sorriso maroto nas beiças, seus depravados), não consegui resistir. Basta um saco próprio e vemos tapetes e edredons a mirrar que nem passas, poupando espaço, truques de dobragem e ajudando a matar à fome populações inteiras de traças e afins.

Gosto tanto disto que já apliquei o mesmo até aos meus avós coitaditos, que nos Invernos penavam tanto com o frio e as doenças, isto para não falar que é nas estações mais frias que os velhotes se vão abaixo. Agora, chega a Setembro /Outubro, meto os avós no saco, toma lá aspirador e vácuo e é vê-los quietinhos, prontos a irem para arrecadação até voltarem os dias mais quentes.

Recomendo vivamente isto, quer seja para avós, animais de estimação e, porque não para crianças mais indisciplinadas. Em vez de um castigo ou uma palmada, que causam sempre alguns danos, é embalá-los a vácuo no fim de semana, que ficam preservados a 100%, sem perder qualidades com a vantagem de não irem a lado nenhum e terem tempo para pensar na merda que fizeram.

Sempre a inovar, não é verdade?

April Stevens, Teach me Tiger.

2 comentários:

  1. Ohh Mak, para crianças indisciplinadas não há sacos no mundo que cheguem...

    ResponderEliminar
  2. E a bimbi aposto que Mak não tem o aspirador mas tem a bimbi :P
    Bjs
    M

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.