12.3.09

Olé Torino


Para ver que neste espaço o Clint Eastwood tem créditos, não é preciso ser vidente. Aliás, foi essa parcialidade que ajudou a que este blog tivesse o nome que tem, depois de uma apertada corrida com nomes como “Staff Ermo”.
Por isso, depois de visto o Gran Torino, nem me vou gabar do facto de ter tido a oportunidade de o ver antes da estreia (ops), ou vir para aqui estragar o cenário.

Tem exageros, uns ligeiros pormenores dispensáveis, mas o facto é que prefiro ver o Clint visto pelo Clint a qualquer Angelina Jolie de oferta, por isso não há Troca possível. Tomara eu chegar à idade do senhor e conseguir distinguir entre o tapete da sala e a sanita. Por isso, ide ver minha gente e mesmo que não saibam distinguir um Ford Gran Torino, de um Kangoo não há problema. Se tudo correr bem, vão sair à mesma com uma vontade de rosnar e a agradecer-me por não terem ficado em casa a ver o DVD dos Teletubbies.

5 comentários:

  1. Já vi e gostei muito. Do melhor, de entre os filmes mais recentes.

    ResponderEliminar
  2. Já vi (antes da estreia, oops) e adorei aquele mau feitio! Um vizinho daqueles é que dava jeito para limpar o sebo aos arrumadores de carros...

    ResponderEliminar
  3. Quero ver. Adoro dramas no geral, o Clint em particular. :D

    ResponderEliminar
  4. Oooops também vi antes da estreia (cortesia de alguém que não menciono mas que sabe quem é e que conhece o seu valor)e gostei muito. Queria que este Walt levasse as minhas filhas às aulas de música e à natação e depois tivesse o prazer de interagir com os outros pais, fazendo de conta que são os vizinhos chineses, antes de serem amigos...(quando eram chinocas)

    ResponderEliminar
  5. Eu não vou comentar muito. Gostei. Acho que basta. Tem o seu género peculiar e a sua técnica a "la Clint ". Obrigada Mak não fiquei a ver o DVD dos Teletubies!
    Ia ver de qualquer forma. Mesmo quando me dizem que é mau, só se enfatizarem o "muito" é que fico por ai.
    Buenas Noches
    Madalena

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.