31.3.09

Chegado a bom Porto

Aproveitei o fim de semana do apagão para apagar do mapa um ponto de ignorância da minha parte. Vai daí, fui ao Porto, cidade aonde só tinha passado a caminho de outro sítio qualquer, o que não abona muito a meu favor, mas o facto é que o Porto também podia ter insistido para eu ficar mais um bocadinho.

Para começar, decidi que ia ficar bem impressionado com a cidade. Por isso, à cautela, orientei bilhetes para ir ver a selecção, pois ver um jogo da turma do Queiroz faz tudo o resto parecer melhor. Um nativo avisou-me também, com a devida antecedência, para ter cuidado com um tal de Andante, tipo esquisito que opera no Metro e que às vezes troca as voltas a quem só queria dar um giro. Falando em Metro, posso dizer que não se nota nada que está em falência técnica. Tem bom aspecto, tem estações com nomes engraçados para a malta se ir entretendo a ler na viagem e a senhora que diz o nome das estações, para variar, até sabe falar bem inglês.

Saído na Trindade, não evitei a emoção de ter uma banda à espera em frente à câmara municipal. Depois, ao percorrer a Avenida dos Aliados foi fácil reparar que a decoração ocasional de adeptos do FC Porto retira algum do esplendor à dita cuja. Um pormenor interessante, se não vão com alguém da zona, não perguntem na rua qual o melhor sítio para comer uma francesinha. 30 pessoas diferentes, indicam 30 lugares diferentes, com uma coisa em comum – todos são o berço da verdadeira francesinha. Por isso ou levam já uma indicação específica ou arrisquem. Foi o que eu fiz e tive sorte – Buffet Fase ao cimo da Rua de St. Catarina, um espaço com 2 m2, mas com umas francesinhas de categoria, com prémios ganhos e tudo.
Uma nota em relação à rua de St. Catarina, a concentração de dreads por metro quadrado era potente, numa espécie de Bairro Alto concentrado, mas com sotaque nortenho.

Mais umas voltinhas, com aquilo cheio de suecos (poucas suecas convenha-se), ninguém deu por isso que eu era um mouro infiltrado. O facto de eu insistir que era filho do Pinto da Costa também deve ter ajudado. Romaria então para o Dragão, com inspectores do Metro a mostrarem que aquilo do Andante não é mesmo apenas o pior nome para um título de transporte público.

Depois, o que se passou no estádio já é de domínio público e nem vale a pena bater no ceguinho. Foi merecidamente a parte mais fraca da visita. E ainda bem, porque assim fiquei com vontade de voltar a agraciar essa cidade com a minha presença. Não precisam de agradecer, eu sou mesmo assim.

9 comentários:

  1. No dia em que quizeres vir ao porto por outras razões - igualmente validas, leia-se - vem de olhos, e alma, já agora, mais abertos.

    fala-te uma lisboeta :)

    ResponderEliminar
  2. Em primeiro lugar, tenho a dizer que sou leitora assídua do blog, embora nunca tenha deixado um comentário.
    Em segundo lugar, daqui te escreve uma mulher do norte, portuense e… portista claro está! Lol essa foi, de longe, a pior descrição da cidade que alguma vez li… Eu podia dizer tanta coisa, a começar pelo metro e o andante… Mas acredito que essa implicação com o cartão andante é algo que já vos está no sangue, porque é comum a todo o lisboeta que conheço! Quanto à francesinha foste, de longe, ao melhor sitio :) Santa Catarina não é uma espécie de Bairro Alto e garanto-te que a concentração de dreads não é naquela rua… ahahahahahah
    Permite-me só deixar um conselho: se vais agraciar a cidade com a tua presença não sei, mas é urgente que voltes para conheceres a cidade do Porto, que é, sem sombra dúvidas, a mais bela cidade de Portugal! E não precisas de decidir que vais ficar bem impressionado com a cidade. Mesmo que não se queira…fica-se sempre!

    ResponderEliminar
  3. Vivo no Porto há mais de 10 anos. Mas sou de Lisboa e vivi lá mais de 20. Desde que vim para aqui que ouço dizer mal de Lisboa. E todos, consideram, que em Lisboa, se diz igualmente mal deles. Tenho jurado a pés juntos, porque é nisso que acredito, porque sinceramente nunca assisti, que os lisboetas não dizem mal deles, nem da invicta. De repente.... senti-me enganada, por mim própria, ao ler este teu triste post.
    Adoro Lisboa e adoro o Porto. duas cidades profundamente diferentes. Em tudo. Mas não é possível não gostar das duas. Há nas duas características que se amam e que se odeiam.
    Concordo com a galega. Mesmo que não queiras.... não tens como não gostar...

    ResponderEliminar
  4. Eu adoro o Porto. É uma cidade que "primeiro estranha-se e depois entranha-se!!!!
    Quanto mais lá vou, mais gosto de lá ir! E já descobri coisas fantásticas por lá!
    Volta... vale a pena!
    Beijinhos,
    T

    ResponderEliminar
  5. Eu cá acho que há um bocado de excesso de produção nas mulheres... Aquilo é qualquer coisa entre uma portuguesa normal e uma espanhola ali da andaluzia preparada para sair à noite! Enfim, podiam ser menos neuróticas com o "glamour" que não iam ficar feias por isso.

    Bem no caso do Andante não me parece que o problema seja dos lisboetas que implicam crónicamente com ele! É mesmo o nome que é um bocado para o ridículo

    ResponderEliminar
  6. Nota à navegação - Estive no Porto das 16 às 23.30. Foi uma visita curta, infelizmente, mas caso isso não tenha sido perceptível no texto - de facto gostei. Como é óbvio, tendo sido uma visita de sete horas com um jogo de futebol pelo meio, é superficial e carece de detalhe e informação. Para isso servirão próximas visitas, esperam-se que breves.

    Em relação ao Andante, tirei-o à primeira, carreguei-o à primeira, não me enganei a comprar viagens, saí nas estações pretendidas. O meu problema é mesmo com o nome e olhem que estou habituado a dar nomes a coisas. Numa perspectiva profissional, creio que se tentou dar um nome que fosse "meio popular", mas não foi bem conseguido.

    Estou totalmente aberto a recomendações de locais de visita, mas não posso indicar datas de visita para não criar multidões em expectativa.

    ResponderEliminar
  7. Tempus_fugit, não podia concordar mais em relação as mulheres do Porto!
    Mas há excepções como em tudo na vida...

    ResponderEliminar
  8. Eu adoro ir ao Porto, quando precisam de vítima para ir para lá trabalhar, ora dou um passo em frente ;P Embora seja do tipo pouco turístico,de dia trabalho... passeio de noite, arrasto-me ao fim de 3 dias para formação com olho Kubrick...já ninguêm o estranha...
    Em Novembro andei pelo Armazém do Chá e fui descobrir um ou dois bares góticos pelas ruelas, dreads não me incomodam ...lamento que a Sé esteja intransitável (disseram-me) e gosto de ver as luzinhas da Foz. Subir a Av. dos Aliados em plena manifestação de professores, foi o que me aconteceu no final do ano passado...:S .Só há uma coisa que nao gosto!!! Francesinhas AUTCHHHHHHHHHHH . Porto é uma bela cidade, adoro lá ir, mas gosto muito da minha.

    Bjs
    M.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.