18.3.09

Boca do Inverno


Então malta jovem essas tardes invernosas? Esses serões enrolados numa manta a ouvir chover lá fora? Esse bafo de frio mal põem um pézinho fora da porta? Tudo caladinho que nem um rato não é verdade. Pode ser que isto seja uma partida de Deus a S.Pedro, dando-lhe Alzheimer para o senhor não encontrar as chaves e depois deu nisto. Atenção, não fui eu que disse isto, foi a Alexandra Solnado que me ligou a dizer que o JC ontem estava imparável nas SMS’s.

A verdade é que, caso não tenham estado ultimamente em coma ou a tentar hibernar, já repararam que este Inverno, ou melhor, esta anedota de Inverno não tem muita piada. Para já, obrigou centenas de agricultores a reescrever argumentos e petições para subsídios. As palavras geada, chuvas fortes, enxurradas e precipitação e necessidade de subsídios vão ter de ser substituídas por expressões como calor, seca intensa, aridez e extrema necessidade de subsídios.

Depois, um tempo assim é um incentivo ao aumento do desemprego. Com mau tempo e frio a malta ainda pensa – coitadinhos dos desempregados lá fora ao frio, ainda bem que tenho um emprego quentinho. Com tempo de praia em Fevereiro/Março uma pessoa olha lá para fora e pensa – Sorte é quem recebe subsídio para ir para a praia e eu aqui encaixotado neste emprego que parece um Inferno.

Depois, não são só as andorinhas e restante bicharada a andar desnorteada. Já foram vistos jornalistas em vôo picado contra paredes, outros a tentarem atravessar avenidas com sinal vermelho, tudo fruto da desorientação. Pudera, nesta época do ano estão habituados a ir cobrir histórias da senhora que ficou com a casa inundada, da família que vive ao frio sem tecto ou moldavos que bebem e vão desafiar as vagas gigantes de Inverno. Com este tempo, levam com incêndios, malta a bronzear-se na praia e moldavos que bebem e aproveitam o bom tempo para desafiar as vagas gigantes do Inverno. Não há orientação de linha editorial que resista.

E, no meio disto tudo, o Al Gore, ninguém o vê a vir cá filmar isto pois não? Pudera, deve estar no Algarve a dizer umas verdades inconvenientes a umas suecas desinibidas.

Arcade Fire, Neighborhood #3 (Power Out)

5 comentários:

  1. Arcade Fire, Neighborhood #3 (Power Out) ????
    Bug ...ou dava trab?
    ;P

    ResponderEliminar
  2. Olá, desde já peço desculpa com este corte na conversa, isto n tem nada a ver, mas estava a pesquisar na net o custo de vida em berlim, e um dos primeiros links foi um post teu de meados de 2008. Gostei do texto e como estou a pensar ir para lá trabalhar podias ter informações boas de casas, sites sobre ou mm pessoas que tivesses conhecido. Peço desculpa mais uma vez e obrigado!!!!plimah@gmail.com

    ResponderEliminar
  3. Caro anónimo,

    Sobre a música, isto ontem funcionava, mas vou já dar uma lapada no DJ para ir buscar mais cassetes.

    Creio que a dúvida era essa não?

    @ Pedro - Só lá estive de férias, pelo que, por exemplo, os dados de imobiliário que vi foram em anúncios em placards ou através de pessoas que conheci lá. No entanto, fora o entrave da língua (se não dominares alemão, a procura de casa pode ficar mais complicada), o custo de vida em Berlim é, em média, mais baixo do que noutras partes da Alemanha. Posso dar-te uma referência de onde fiquei, mas era alojamento turístico e não residencial a médio prazo.

    ResponderEliminar
  4. ya dá-lhe uma grande lapada ...mereçe...gosto desse teledisco :P

    MAK és guia turistico!!!?????


    Madalena

    ResponderEliminar
  5. Com tanta troca e baldroca "temporal", daqui a pouco mais vale mudarmo-nos de armas e bagagens para o hemisfério sul... Ou lá também está tudo trocado :P?

    ;)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.