19.2.09

Se é só para fazer bonito, há que escolher bem o elenco

É certo e sabido que não faltam por aí elementos de fachada e também de chachada nos Governos em particular e no nosso em geral. Sabendo isso e sabendo também que em certas áreas, como a Saúde, Educação ou Finanças é impossível arranjar alguém que não vá ser alvo de críticas (nem mesmo Jesus Cristo, se fosse nomeado se safava), porque não equilibrar noutras áreas.

O tio Berlusconi, a quem se pode chamar muita coisa menos parvo, resolveu isso o ano passado, ao nomear a Sra. Dona Mara Carfagna para Ministra da Igualdade de Oportunidades. Não sei bem que tipo de oportunidades estavam em causa, mas o facto é que ter uma ex-modelo/apresentadora/gaja com atributos no Governo melhora logo a fotografia, mesmo que não faça efectivamente nada, como tantos outros. É o chamado Efeito Máximos na Tromba.

Supondo eu que o nível de audiências por queixas de desigualdade de oportunidades tenha subido drasticamente em Itália, não faltará agora quem, depois de saber disto, se vá queixar ao Sócrates (ou ao tio) de que nós também devíamos ter uma oportunidade de ter uma ministra assim, em vez do festival de carcaças e carantonhas que por cá andam.

Por isso, enquanto dá uns açoites a membros da família mais incautos, vá pensando que em ano de eleições é capaz de ser boa ideia arranjar alguém com essas capacidades, para criar outro tipo de calores quando se fala em Governos. Ah e escolha com alguma qualidade e requinte, porque se for para nomear espécimes de quinta categoria tipo Carla Matadinho, então mais vale estar quietinho, para que a coisa não se torne extra-ordinária.

1 comentário:

  1. É melhor nem dar ideias, porque o mais certo é o nosso governo perceber tanto de mulheres como de política e pôr lá uma Ana Malhoa porque tem imenso "charme e glamour"... eheh.

    Bjs

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.